Edição nº 1091 11.10 Ver ediçõs anteriores

A aposta da Kodak nas moedas virtuais

A aposta da Kodak nas moedas virtuais

A relação da Kodak com a tecnologia pode ser chamada de, no mínimo, esquizofrênica. Sua maior inovação nos últimos 30 anos, a câmera digital, quase matou a companhia. Agora, a empresa de Rochester, nos Estados Unidos, investe em uma área completamente alheia a sua expertise. Ela lançou, esta semana, a KodakCoin, uma moeda virtual destinada aos fotógrafos que utilizam a plataforma de gerenciamento de direitos autorais da própria companhia. Junto, a empresa também lança um serviço de aluguel de máquinas de mineração de Bitcoins, chamadas de KashMiner. Quem, nos EUA, estiver interessado em minerar a criptomoeda sem fazer grandes investimentos, pode alugar uma das máquinas. O preço do serviço é a metade do lucro que o minerador conseguir com o equipamento. Os anúncios fizeram disparar em 200% as ações da companhia, que saiu de uma recuperação judicial em 2013.

 

… e a nova onda corporativa

E não é só a Kodak que está apostando nas moedas virtuais. Após verem a valorização de 1.300% da Bitcoin em 2017, empresas tentam surfar a nova onda das moedas virtuais empresariais. Baseado no Blockchain, a tecnologia por trás da Bitcoin, o dinheiro digital está sendo criado e lançado por companhias que precisam de capital. A mais ousada iniciativa até o momento parece ser do aplicativo de mensagens instantâneas Telegram, baseado na Rússia. Segundo o site CoinDesk, o aplicativo busca US$ 1,2 bilhão com o lançamento de sua moeda, previsto para esse ano. Na prática, é como se a empresa estivesse emitindo ações. Porém, sem qualquer regulação por trás disso.

(Nota publicada na Edição 1052 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Inteligência para crescer

(Nota publicada na Edição 1091 da Revista Dinheiro)

Expansão europeia

A Amazon quer expandir o Amazon Go para fora dos Estados Unidos. A ideia é levar o seu modelo de lojas inteligentes que não contam com [...]

US$ 200 milhões

É o quanto a Microsoft está investindo na Grab, startup de transporte de passageiros do sudeste asiático. a companhia agora vale US$ 11 bilhões (Nota publicada na Edição 1091 da Revista Dinheiro)

A nova aposta de Zuckerberg

O Facebook entrou no mercado de alto-falantes inteligentes. Na segunda-feira 8, a companhia de Mark Zuckerberg lançou o Portal, um [...]

Rindo à toa

Três executivos do alto-escalão da Apple terão um fim de ano próspero em 2018. A diretora de vendas Angela Ahrendts, o diretor de [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.