Compras

Após provocações, Xiaomi também venderá smartphone sem carregador

Crédito: Divulgação / Xiaomi

O consumidor poderá escolher se quer o acessório incluso na caixa ou não (Crédito: Divulgação / Xiaomi)



Nesta segunda-feira (28), a Xiaomi divulgou que o seu novo smartphone premium, o Mi 11, também será vendido com opção sem carregador. O consumidor poderá escolher se quer o acessório incluso na caixa ou não.

O assunto já foi motivo de provocações entre a fabricante chinesa, a Apple e a Samsung. Na época do lançamento do iPhone 12, pioneiro na venda sem o carregador incluso, as empresas questionaram a decisão da rival com publicações nas redes sociais.

+ Xiaomi revela Mi Watch Lite com bateria que dura nove dias
+ Xiaomi supera Apple em vendas de smartphones no 3º trimestre

A Apple afirmou que a mudança tinha como objetivo diminuir a produção de lixo eletrônico, considerando que as pessoas já têm alguns carregadores em casa. Agora, parece que o movimento será adotado pelas grandes empresas do setor. Segundo rumores da internet, o Galaxy S21, da Samsung, também deve excluir o item da sua caixa.




Com pré-venda iniciada hoje na China, o Mi 11 tem processador Snapdragon 888 octa-core, tela de 6,81 polegadas e bateria de 4.600 mAh. O conjunto de câmeras inclui três lentes traseiras e uma para selfies. Na China, ele será vendido com diferentes variações de memória RAM e armazenamento, com preços que variam de 3.999 yuans (R$ 3.180) a 4.699 yuans (R$ 3.740). A marca não divulgou previsão de venda do modelo no Brasil.