Negócios

Após mortes por contaminação, Backer volta a produzir cerveja em BH

Crédito: Instagram / Backer

Backer volta a produzir cerveja em BH (Crédito: Instagram / Backer )



A Cervejaria Três Lobos, responsável pela marca Backer, informou nesta sexta-feira (8) que obteve a aprovação para a retomada da produção em seu parque industrial, em Belo Horizonte (MG). A empresa é produtora das cervejas Capitão Senra, Tommy Gun e Medieval.

“O processo de reabertura contou com o acompanhamento das autoridades e órgãos competentes e observou todos os critérios legais e técnicos”, disse, em nota, a cervejaria.

A produção da cervejaria foi proibida em 2020 após as mortes de dezenas de pessoas por contaminação. Elas consumiram cervejas Backer que continham dietilenoglicol, composto usado no processo de refrigeração na indústria de cerveja. A empresa alegou um vazamento no tanque que teria contaminado o produto. Outras pessoas tiveram sequelas graves depois que tomaram a cerveja, como perda da audição, dos rins e da visão.

Startup Sensedia abre 58 vagas de trabalho remoto no Brasil




Onze pessoas da empresa foram indiciadas por lesão, homicídio e contaminação de alimentos. O julgamento dos acusados será no próximo mês, na capital mineira.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirma que a Cervejaria Backer foi autorizada a retomar a produção e comercialização de cerveja na fábrica. “Essa liberação foi concedida de forma parcial para duas adegas no parque industrial da empresa”, informa, em nota, a pasta.

“O Mapa esclarece que a empresa atendeu às exigências feitas para garantir a segurança dos produtos, referentes às condições dos tanques de fermentação e equipamentos que serão utilizados neste retorno. A cervejaria ainda substituiu em seu processo o fluido refrigerante por solução hidroalcoólica – solução que contém água e álcool”, esclarece a pasta.


Segundo o Mapa, o processo de produção de cerveja no parque fabril vem ocorrendo desde novembro de 2021, após vistoria executada por auditores fiscais federais agropecuários.

“Os produtos produzidos foram informados semanalmente ao Ministério que realizou a coleta de cada lote e dos fluidos refrigerantes. Com a aprovação das análises, fica a Cervejaria Backer autorizada a comercializar seus produtos”, diz nota.

Em relação ao funcionamento do restaurante, anexo à planta fabril, o Mapa informa que é de competência dos órgãos de vigilância sanitária. “A comercialização de bebidas no estabelecimento pode ocorrer se os produtos estiverem devidamente registrados no Mapa, como é o caso da cervejaria Backer. Em janeiro de 2020, o Mapa interditou a cervejaria e determinou o recolhimento de todos os produtos, após a ocorrência de casos de contaminação. Análises identificaram a presença de contaminante dietilenoglicol em diversos lotes de cervejas da Backer”, finaliza o órgão.

Veja a nota na íntegra da Cervejaria Três Lobos:

“A Cervejaria Três Lobos informa que obteve a aprovação para a retomada da produção de cervejas em seu parque industrial. O processo de reabertura contou com o acompanhamento das autoridades e órgãos competentes e observou todos os critérios legais e técnicos.

A empresa destaca que sempre teve e mantém total interesse na apuração de toda e qualquer irregularidade relacionada à produção e, por isso, segue contribuindo efetivamente com o trabalho dos órgãos de controle e fiscalização.

A cervejaria ressalta ainda que não mede esforços para oferecer apoio às vítimas e suas famílias e a retomada da produção cervejeira será um fator decisivo para ampliar a assistência médica e financeira.”