Finanças

Após escândalo com ex-CEO, Wirecard pede falência com rombo de R$ 11 bilhões

Crédito: Reprodução / Google Maps

A Wirecard entrou com pedido de falência após escândalo de fraude contábil (Crédito: Reprodução / Google Maps)

A Wirecard, processadora de pagamentos alemã, entrou com um pedido de falência menos de uma semana depois de ser acusada de fraude contábil. Foi descoberto um rombo 1,9 bilhão de euros (cerca de R$ 11,3 bilhões) no balanço da empresa, o que levou o seu fundador e ex-CEO, Makus Braun, a prisão.

Em comunicado divulgado hoje (25) pela CNN, a empresa informou que abriu os processos legais para o pedido em Munique, na Alemanha. A decisão se dá “devido à falência iminente e ao endividamento excessivo”. As ações da empresa já perderam 90% de seu valor de mercado.

+ Wirecard perde R$ 7,4 bi em valor de mercado após fundador ser preso e pagar fiança de R$ 29 mi
+ Wirecard compra brasileira Moip por R$ 165 milhões

A Wirecard disse também que seus banqueiros ameaçavam pedir empréstimos no valor de 1,3 bilhão de euros até 1º de julho e, na ausência de um acordo com os credores, seu futuro não poderia ser garantido.

Braun, que foi libertado sob fiança de 5 milhões euros (R$ 29 milhões), sugeriu que a Wirecard possa ser vítima de fraude. Procurados pelo CNN, o executivo e seu advogado não comentaram o caso.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel