Giro

Após Di Grassi abandonar, francês Jean-Éric Vergne vence na Fórmula E

Foi por pouco, mas ainda não foi neste sábado (10) em Roma (Itália) que a sétima temporada da Fórmula E teve uma vitória brasileira. O paulista Lucas Di Grassi, da equipe Audi Sport, deixou a prova quando estava na liderança, a apenas cinco voltas do fim, devido a um problema mecânico no sistema de transmissão. A vitória acabou ficando com o francês Jean-Éric Vergne, da DS Techeetah. Esta foi a primeira das duas provas a serem realizadas na capital italiana neste fim de semana. A segunda acontece no próximo domingo (11), a partir das 8h (horário de Brasília).

“A vitória escorreu por entre os dedos. Mas o automobilismo é assim. Precisamos manter a cabeça erguida, trabalhar ainda mais, que ainda vamos trazer essa vitória para o Brasil”, declarou o campeão da temporada 2017 da categoria.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Antes de abandonar a corrida, Lucas Di Grassi, que largou da quarta posição, assumiu a ponta em três diferentes ocasiões. Na última delas, ultrapassou o então líder Vergne, que acabou herdando a primeira posição com a saída do brasileiro. O francês foi acompanhado no pódio pelo britânico Sam Bird, em segundo, e pelo australiano Mitch Evans, em terceiro, ambos pilotos da Jaguar Racing. Bird é o líder da temporada após três provas, com 43 pontos, seguido pelos holandeses Robin Frijns (Envision Virgin Racing), com 34, e Nyck de Vries (Mercedes-EQ), com 32.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel