Edição nº 1113 22.03 Ver ediçõs anteriores

Aporte musical na Amigos do Guri

A ONG Amigos do Guri, do programa sociocultural Projeto Guri, que oferece cursos gratuitos de música a crianças e adolescentes do Estado de São Paulo, captou mais de R$ 6,7 milhões em 2018. Isso só foi possível graças à ajuda de pessoas físicas e mais de 30 empresas, como Visa, CTG Brasil e Mercedes-Benz. Esse montante irá possibilitar a ONG a abrir novos espaços, promover festivais de música, seminários e atividades educativas. Hoje, a Amigos do Guri é responsável pela administração de mais de 300 polos de ensino em São Paulo, inclusive locações na Fundação Casa. Idealizado em 1995, o Projeto Guri já levou educação a mais de 710 mil jovens.

(Nota publicada na Edição 1103 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Aquecimento do Ártico já é irreversível

Ainda que todos os países do mundo cortem drasticamente as emissões dos gases de efeito estufa para cumprir a meta do Acordo de Paris, [...]

África ganha aliado

A África é o continente mais vulnerável às mudanças climáticas. Vários países do continente, especialmente as nações costeiras, sofrem [...]

Humanos afetam hábitos de Chimpanzés

Segundo estudo publicado na revista americana Science, os chimpanzés estão perdendo a pluralidade de comportamento. Se antes era comum [...]

Profissão: salva-vidas

O Hospital Santa Maria é uma referência em serviços de maternidade e prevenção ao câncer de mama na cidade de Suzano, região metropolitana de São Paulo. Mas na quarta-feira 13, doutores e enfermeiros do ambulatório tiveram um dia de trabalho atípico. Naquela ocasião, o centro médico suzanense recebia sete pacientes provenientes da Escola Estadual Raul […]

Sinal verde para a moda brasileira

De olho nos consumidores mais preocupados com a origem dos produtos, as principais varejistas de moda estão em rápida transformação. A [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.