Giro

Aplicativo promete proteger usuários de haters nas redes sociais

Crédito: Reprodução/Pexels

Os criadores dizem ser capaz de detectar discurso de ódio entre insultos, assédio moral, assédio sexual, racismo, homofobia e body shaming (Crédito: Reprodução/Pexels)

Farto da toxicidade das redes sociais? Bem, há um novo app que promete protegê-lo dos conteúdos menos simpáticos com que se cruza nas plataformas. Chama-se Bodyguard, foi desenvolvida por uma startup francesa e recentemente lançada em inglês – a versão francesa já conta com mais de 50 mil usuário – os responsáveis dizem ser capaz de detectar discurso de ódio com uma precisão de entre 90% a 95%.

+ Tim Cook diz que se a rede social Parler for reformada, poderá voltar à Apple
+ Apesar de pandemia, rede social mostra aumento na prática esportiva

O app é bastante simples de operar. Uma vez baixada, terá de a conectar às suas redes sociais e escolher um nível de moderação. Em seguida terá de escolher entre várias categorias – insultos, assédio moral, assédio sexual, racismo, homofobia e body shaming – e selecionar o nível de prioridade para cada uma delas.

Depois de todo este processo de configuração, não terá de voltar a abrir o aplicativo. O app funcionará diretamente nas redes sociais, analisando e ocultando, dos seus feeds, os conteúdos (comentários, respostas, perfis, etc.) que corresponderem aos critérios de censura que selecionou. Segundo o CEO Charles Cohen, neste fluxo de identificação de conteúdo tóxico, há uma taxa de falsos positivos que ronda os 2%.



A moderação de conteúdos é feita por sistemas de identificação de palavras-chave, que depois analisa o comentário à luz do seu contexto. Desta forma, o software consegue identificar se o comentário em questão é ofensivo para o utilizador, para uma terceira pessoa, para um grupo específico, etc.

A app suporta redes como o Twitter, o YouTube, o Instagram e a Twitch.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel