Edição nº 1052 12.01 Ver ediçõs anteriores

Aplicativo 99 torna-se, oficialmente, primeiro unicórnio brasileiro

A chinesa Didi Chuxing, rival da Uber na China, assumiu o controle da 99, avaliando a startup brasileira em US$ 1 bilhão

Aplicativo 99 torna-se, oficialmente, primeiro unicórnio brasileiro

Ariel Lambrecht, um dos fundadores da 99, que foi avaliada em US$ 1 bilhão

O aplicativo de transporte 99, rival do Uber, tornou-se oficialmente o primeiro unicórnio brasileiro.

A Didi Chuxing, considerada a “Uber chinesa”, assumiu seu controle nesta terça-feira 2, avaliando a startup brasileira em US$ 1 bilhão.

Um unicórnio, no jargão dos fundos de investimento, é uma companhia avaliada em US$ 1 bilhão ou mais. Até agora, nenhuma startup brasileira tinha conseguido atingir esse patamar.

A Didi Chuxing, que havia investido US$ 100 milhões na 99 em janeiro do ano passado, comprou as fatias detidas pelos fundos Riverwood Capital, Monashees, Qualcomm Ventures, Tiger Global e pela japonesa Softbank, segundo o jornal Valor.

Nessa transação, a companhia chinesa teria pago quase R$ 1 bilhão. Além desse valor, fontes indicam que a Didi Chuxing deve fazer novos aportes na startup brasileira.

A 99 já recebeu US$ 240 milhões em cinco rodas de investimentos. A startup brasileira foi fundada em 2012 por Ariel Lambrecht, Renato Freitas e Paulo Vera para ser um aplicativo de táxi. Com o advento da Uber, a companhia lançou o seu serviço Pop para concorrer com o rival americano.

Em nota, a 99 disse que “a respeito de informações de mercado publicadas hoje (02/01) pela imprensa, a 99 informa que se manifestará no momento oportuno.”

Tópicos

99 Didi Chuxing Uber

Mais posts

Dotz chega à cidade de São Paulo no primeiro semestre de 2018

Segundo fontes de mercado, o programa de fidelidade está em negociações com Sonda, Hirota e Roldão, que devem ser os varejistas-âncoras [...]

PagSeguro: um novo unicórnio brasileiro a caminho

Se conseguir realizar o seu IPO nos Estados Unidos, a empresa brasileira do grupo de internet UOL conseguirá atingir um valor de [...]

O “mea culpa” de Mark Zuckerberg

Em post em sua página pessoal, o fundador do Facebook admite os erros da sua rede social e diz que sua meta é consertá-lo em 2018

Uber ou Didi Chuxing: qual vence a batalha dos aplicativos? Nenhuma das duas

Independentemente de qual empresa vingar, o fundo de investimento japonês Softbank conta com participações relevantes em ambas

Walmart pode demitir até 80% dos funcionários de operação online

Com a integração, o Walmart vai focar no modelo de marketplace, no qual os produtos são vendidos por outras lojas. A ideia é reduzir [...]
Ver mais

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.