Giro

Apesar da pandemia, a taxa de CO2 na atmosfera atingiu seu nível mais alto

Crédito: Reprodução/Unsplash

A comunidade mundial foi incapaz de diminuir significativamente, muito menos reverter, os aumentos anuais nos níveis de CO2 na atmosfera (Crédito: Reprodução/Unsplash)

Taxa de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera atingiu seu nível mais alto em maio de 2021 desde que os dados foram registrados. Isso foi determinado por cientistas da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOOA). Um número que não pôde ser reduzido mesmo com as constantes quarentenas impostas pela pandemia do coronavírus

Para a NOOA, “apesar de décadas de negociações, a comunidade mundial foi incapaz de diminuir significativamente, muito menos reverter, os aumentos anuais nos níveis de CO2 na atmosfera.

+ Aquecimento poderia superar +1,5 ºC nos próximos cinco anos, afirma a ONU

De acordo com dados da agência americana, 419 partes por milhão (ppm) foram alcançadas em maio de 2021, uma unidade usada para medir a poluição do ar. No mesmo mês, mas em 2020, a média era de 417 ppm. “Este é, sem dúvida, o maior nível em 63 anos, quando o índice começou a ser medido”, observaram os especialistas. As medições são feitas desde 1958 pelo Observatório Mauna Loa, no Havaí, localizado no topo de um vulcão.



“Nenhum sinal perceptível da perturbação na economia mundial causada pela pandemia do coronavírus foi encontrado nos dados”, disse a agência. Outros testes científicos, por sua vez, indicaram que essa taxa não era atingida há milhões de anos.

A carga atmosférica de CO2 é agora comparável ao que era entre 4,1 e 4,5 milhões de anos atrás. Naquela época, a taxa era próxima ou superior a 400 ppm, de acordo com o relatório da NOAA. Naquela época, o nível do mar estava uns metros mais alto e a região do Ártico era ocupada por grandes florestas, de acordo com estudos.

“Todos os anos, adicionamos 40 bilhões de toneladas métricas de poluição de CO2 à atmosfera. Se quisermos evitar uma mudança climática catastrófica, a maior prioridade deve ser reduzir a poluição de CO2 a zero o mais rápido possível ”, disse o cientista Pieter Tans da NOAA.

O dióxido de carbono é gerado pela queima de combustíveis fósseis usados ​​no transporte ou na eletricidade, mas também por outras práticas, como a fabricação de cimento ou o desmatamento, entre outras. Esse gás retém calor na atmosfera e contribui para o aquecimento global. Ela persiste nos oceanos e na atmosfera por milhares de anos, enfatiza a NOAA.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km