Economia

Ao retomar planos de viajar, brasileiro encontra tarifas nas alturas

Crédito: Pixabay

Ao retomar planos de viajar, brasileiro encontra tarifas nas alturas (Crédito: Pixabay )



O sonho do casal de professores Rafael e Natália Sassi de viajar pela primeira vez para fora do País teve de ser novamente adiado. Em janeiro de 2021, eles tinham comprado um pacote de viagem de sete dias para o Chile. Próximo do embarque, a viagem foi cancelada devido às restrições sanitárias sob a pandemia. A saída foi trocar a viagem do Chile pelo Nordeste.

“Com a queda do câmbio nas últimas semanas e a flexibilização das regras sanitárias, a gente se animou em ir para fora do País”, conta Rafael. Eles procuraram a agência na qual tinham um crédito de R$ 4,5 mil por conta da troca do pacote. O destino escolhido foi Bariloche, na Argentina. Mas os novos planos também foram frustrados.

Pela viagem de sete dias a Bariloche, o casal teria de gastar quase R$ 20 mil. No ano passado, o custo dessa viagem girava entre R$ 14 mil e R$ 16 mil, segundo cotações da época. Mais uma vez, o casal trocou o destino internacional pelo nacional para encaixar a viagem no bolso. Em julho, embarcam para Lençóis Maranhenses (MA), viagem que, entre hospedagem, passagens e passeios, saiu por R$ 10 mil. “Desta vez adiamos o sonho de ir para fora por causa da passagem aérea, que está bem cara.”

Depois de dois anos de pandemia, muitos brasileiros, assim como Rafael e Natália, voltaram a planejar longas viagens. No entanto, foram surpreendidos com a disparada do valor das passagens aéreas. Em março ficou nítido o estrago que a guerra entre Rússia e Ucrânia provocou na cotação do petróleo, a base do querosene usado pelos aviões.



Telefônica Brasil cria fundo de R$ 320 milhões para investir em startups

MAIOR ALTA. Entre janeiro e março, os preços médios dos bilhetes de ida e volta para os destinos nacionais mais procurados subiram até 62% e os de rotas internacionais, até 32%, segundo o site de busca Kayak. O destino nacional com maior reajuste foi Brasília, com preço médio do bilhete de R$ 1.058 em março. Barcelona, na Espanha, ficou no topo da lista dos aumentos das rotas internacionais, com tarifa média de R$ 4.541 no mês passado.

Pesquisa da Decolar, agência virtual, mostra que, de fevereiro para março, o preço médio das passagens aéreas internacionais mais buscadas, partindo dos aeroportos de São Paulo, registrou alta de até 22%. A passagem para Orlando, nos EUA, teve o maior aumento. O preço médio do bilhete de ida e volta em março era de R$ 2.075,71. Para os destinos nacionais, a alta do preço das passagens foi de até 40% no mesmo período, encabeçada por Recife (PE), com tarifa de R$ 559,82.


A inflação das passagens aéreas medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe entre janeiro e março atingiu 6,02% – mais da metade da alta foi em março (3,55%).

“Teve um baita aumento de custos, o combustível de aviação subiu muito, mas, no fundo, subiu muito a procura por viagens também”, diz o coordenador do IPC da Fipe, Guilherme Moreira. Com custos pressionados, este aumento de demanda é a oportunidade para as companhias aéreas recuperarem margens, observa.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), a justificativa para a disparada de preços das passagens é o peso do querosene de aviação, derivado do petróleo que responde por 40% dos custos das companhias. Em 2021, o preço do combustível subiu 92% e, neste ano, impulsionado pela guerra, aumentou mais 38%. Em 15 meses, a alta foi um pouco mais de 140% no principal custo. “Esta é a causa fundamental para o aumento das passagens”, diz Eduardo Sanovicz, presidente da Abear.

Agências de turismo observaram nos últimos meses uma descompressão da demanda por viagens que havia sido reprimida pela pandemia, especialmente entre os endinheirados.

Voltada ao público de maior renda, a Cactus Travel, de Jundiaí (SP) registrou salto nas vendas nunca visto em quase 30 anos. Alexandre Rossi, proprietário da agência, diz que nos últimos três meses a demanda por destinos nacionais aumentou 50% e a para viagens ao exterior mais do que dobrou.

“Quem foi no ano passado para Gramado (RS), Fortaleza (CE), por exemplo, e sempre costumava ir para Nova York e Paris, quer viajar e não se importa com o valor da passagem”, diz o empresário. Ele lembra que vários países deixaram de exigir o teste de PCR contra covid-19 e o câmbio também recuou. Nos pacotes internacionais vendidos pela agência para julho, a maior dificuldade hoje é conseguir passagem em classe executiva e vaga em hotéis cinco estrelas. “O mercado de luxo está arrebentando, mas não deixo de vender pacotes baratos também.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.






Tópicos

aeroportos de São Paulo agência turismo agência virtual agências de turismo Alexandre Rossi alta do preço das passagens Argentina Associação Brasileira das Empresas Aéreas aumento das passagens aumento de custos aviões Barcelona Bariloche bilhete Brasília Cactus Travel Câmbio casal Chile classe executiva combustível de aviação cotação do petróleo Covid-19 custos das companhias Decolar demanda por viagens destino internacional destino nacional destino nacional com maior reajuste destinos nacionais disparada de preços das passagens Eduardo Sanovicz EMBARQUE endinheirados Espanha EUA Fipe flexibilização das regras sanitárias fora do País Fortaleza Gramado guerra guerra entre Rússia e Ucrânia hospedagem hotéis cinco estrelas Índice de Preços ao Consumidor inflação das passagens aéreas IPC Jundiaí kayak Lençóis Maranhenses longas viagens maior reajuste mercado de luxo nordeste Nova York Orlando pacote pacote de viagem pacote viagem pacotes baratos pacotes internacionais pandemia Paris passagem passagem aérea passagem em classe executiva passagens passagens aéreas passeios petróleo planejar longas viagens planos de viajar preço do combustível preço médio preço médio das passagens aéreas internacionais mais buscadas preço médio do bilhete preço médio do bilhete de ida e volta em março preços médios dos bilhetes de ida e volta presidente da Abear proprietário da agência queda do câmbio querosene querosene de aviação querosene usado pelos aviões Recife regras sanitárias restrições sanitárias Retomada rotas internacionais sonho sonho do casal tarifas teste de PCR vaga em hotéis cinco estrelas valor da passagem valor das passagens aéreas viagem viagem foi cancelada devido às restrições sanitárias viagens Viagens ao Exterior viajar viajar pela primeira vez para fora do País