Giro

Anvisa segura autoteste e pede mais informações ao Ministério da Saúde

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

A agência pediu novas informações ao Ministério da Saúde e, em um prazo de até 15 dias, voltará a se reunir para avaliar a liberação dos autotestes de Covid (Crédito: Arquivo/Agência Brasil )



A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu rejeitar na tarde desta quarta-feira (19) a regulamentação do autoteste de Covid-19 no país. Quatro diretores divergiram da relatora, Cristiane Jourdan, que defendeu a aprovação do uso.

A agência decidiu pedir novas informações ao Ministério da Saúde em um prazo de até 15 dias voltar a se reunir para então avaliar a liberação dos autotestes de Covid-19 no País.

+ Tempo de transmissão da Ômicron é maior do que autoridades acreditam, diz estudo

O pedido do autoteste ocorre em um momento em que o Brasil busca ampliar a testagem do coronavírus em meio ao explosivo avanço de casos da variante Ômicron.




A maioria dos diretores da Anvisa seguiu o voto do diretor Romison Mota de que era preciso obter informações adicionais para deliberar sobre a autorização dos autotestes. A relatora Cristiane Jourdan foi a única a votar pela liberação do uso dos testes.

Os diretores entenderam que, apesar de terem sido requisitados, ainda faltam dados para que se pudesse instruir o processo e deliberar sobre o assunto.

“Tentamos de toda sorte não estarmos apegados a normas pré-pandêmicas”, disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, ao observar que não foi possível superar esses obstáculos.