Economia

Anvisa investiga morte de adolescente após vacinação com Pfizer, mas mantém uso do imunizante

Anvisa investiga morte de adolescente após vacinação com Pfizer, mas mantém uso do imunizante

Sede da Anvisa, em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou nesta quinta-feira que investiga o caso da morte de uma adolescente de 16 anos após aplicação da vacina contra Covid-19 da Pfizer.

O órgão regulador, entretanto, ressalvou que não existem “evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina”. Ou seja, manteve o uso do imunizante.

Mais cedo, em uma entrevista coletiva no qual anunciou a suspensão da vacinação de Covid de adolescentes sem comorbidade, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez menção à morte de um jovem após a vacinação.

Houve um registro de uma morte de um jovem em São Bernardo do Campo que ainda está sendo investigada e não há comprovação de que tenha relação direta com a vacina –por enquanto, o que se sabe é que o jovem morreu na mesma época em que tomou a vacina. O caso, no entanto, foi citado por Queiroga como um exemplo de riscos que estariam sendo assumidos pelos Estados. A vacina aplicada foi a Pfizer, autorizada pela Anvisa para essa faixa etária. [L1N2QI27P]



Em nota, o governo de São Paulo classificou de “irresponsável” a disseminação de informações sobre o caso que, de acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado, ainda está em investigação. “Qualquer afirmação ainda é precoce e temerária”, afirmou.

REAÇÃO ADVERSA

A agência disse ter sido informada na quarta-feira que no último dia 2 ocorreu uma “reação adversa grave em uma adolescente após uso da vacina contra a Covid-19”.

O órgão afirmou que não há, no momento, uma relação causal definida entre este caso e a administração da vacina e que os dados recebidos ainda são preliminares e necessitam de aprofundamento para confirmar ou descartar alguma ligação.

“A Anvisa já iniciou avaliação e a comunicação com outras autoridades públicas e adotará todas as ações necessárias para a rápida conclusão da investigação. Entretanto, com os dados disponíveis até o momento, não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina”, destacou o órgão.

A Anvisa aprovou a utilização da vacina da Pfizer para adolescentes entre 12 e 15 anos em junho de 2021. Para essa aprovação, foram apresentados estudos de fase 3, dados que demonstraram sua eficácia e segurança. Antes disso, seu uso já era permitido para jovens a partir de 16 anos.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8F13X-BASEIMAGE

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km