Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

Anúncios políticos na mira do Facebook

Anúncios políticos na mira do Facebook

Em 48 horas o Facebook fez dois anúncios importantes para melhorar sua imagem justamente onde as multas tendem a ser mais pesadas: o território europeu. Na segunda-feira, a empresa divulgou ferramentas para reprimir a interferência política nas eleições de 2019 – a mais importante delas irá compor o novo Parlamento Europeu, em maio. Serão eleitos 705 deputados para o mandato 2019-2024. A partir do final de março, os anúncios políticos na plataforma terão a identificação de “pago por”, que vinculará a um banco de dados público mostrando quem financiou o anúncio, como foi pago e quem visualizou (por idade, sexo e local). As informações serão armazenadas por sete anos. Para Nick Clegg (foto acima), ex-vice-primeiro-ministro britânico que se tornou há três meses vice-presidente do Facebook para Assuntos Globais e Comunicação, “essas ferramentas vão cobrir não apenas anúncios eleitorais, mas também tópicos altamente politizados como imigração”, disse em reportagem da Deutsche Welle. Mas, em Bruxelas, capital da UE, a companhia continua sob cerco.

A comissária europeia de Justiça, Consumidores e Igualdade de Gênero, a tcheca Vera Jourova (foto ao lado), disse que é preciso fazer mais. “Espero que o Facebook ajude a resolver os problemas que ele ajudou a criar.” No dia anterior, no domingo, a empresa havia anunciado a criação de um Centro de Pesquisa de Ética independente para inteligência artificial (IA), numa parceria com a Universidade Técnica de Munique (TUM). A companhia disse que fará um aporte inicial de US$ 7,5 milhões ao longo de cinco anos. O tema promete. O AI Now, centro ligado à Universidade de Nova York, diz que a inteligência artificial é a nova fronteira da desigualdade. Seu relatório anual afirma que “os escândalos de 2018 mostram que a lacuna entre aqueles que se desenvolvem e lucram com IA e aqueles que têm maior probabilidade de sofrer as consequências de seus efeitos negativos está crescendo”.

(Nota publicada na Edição 1106 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Nike lança assinaturas

Plataformas tecnológicas foram as que mais se aproveitaram para a reinvenção de segmentos a partir de assinaturas – Netflix é um [...]

Tá buscando o quê?

Mais das metades das buscas no Google geram zero clique. No restante, 9 em cada 10 clicam em links orgânicos e 1 nos links [...]

Tecnologia tá dizendo: seu comportamento é genético

Pesquisadores da Universidade Utah Health, liderados por Christopher Gregg, tentam entender a relação entre comportamento e genética. E [...]

DiDi cria empresa para carro autônomo

Líder global em transporte por aplicativo, a DiDi – dona da 99 no Brasil – anunciou que sua unidade de veículos autônomos, criada em 2016, será transformada em uma empresa independente. A decisão foi tomada para concentrar, e acelerar, produtos e soluções de P&D. O atual head de tecnologia da DiDi, Bo Zhang, será CEO […]

A onda Podcast

(Nota publicada na Edição 1134 da Revista Dinheiro)
Ver mais