Giro

Ant Group, controladora do Alibaba, planeja maior IPO da história

Crédito: AFP/Arquivos

CEO da Alibaba, Jack Ma, no Fórum Econômico Mundial de Davos, Suíça, em 24 de janeiro de 2018 (Crédito: AFP/Arquivos)

O Ant Group, do fundador do grupo Alibaba, Jack Ma, planeja uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de US$ 30 bilhões, configurando o que pode ser a maior abertura de capital da história e superar os US$ 29 bilhões da Saudi Aramco, registrados no ano passado.

Segundo o Business Insider, a empresa espera atingir um valor de mercado de US$ 225 bilhões e objetivo de Jack Ma e seus executivos é acelerar a formação de um mercado online para absolutamente tudo, desde utensílios domésticos até empréstimos pessoais.

+ Gigante chinês Alibaba anuncia aumento de 34% nas vendas
+ Wall Street é esnobada em IPO de empresa controlada pelo Alibaba
+ Fundador do Alibaba vendeu bilhões de dólares em ações

A companhia possui o Alipay, um dos aplicativos de pagamento mais populares da China e que oferece serviços financeiros online, como empréstimos, investimentos e sistemas de pontuação de crédito. Estima-se que 50% do mercado de pagamentos chinês esteja sob o comando do Alipay.

No primeiro semestre deste ano, a Ant teve receita de 72,5 bilhões de yuans (US$ 10,5 bilhões), com um lucro de 21,2 bilhões de yuans (US$ 3,1 bilhões).

Havia uma expectativa de que a abertura acontecesse nos principais índices acionários dos Estados Unidos, mas a empresa chinesa escolheu as bolsas de Hong Kong e o Star Market de Xangai (a versão chinesa da Nasdaq) para o IPO.

A guerra ideológica que está colocando China e EUA em rota de colisão e prejudicando grandes empresas chinesas pode ser considerada como um ponto de influência nessa decisão de abrir o capital na Ásia.

Para se ter uma ideia do impacto que o Alibaba causou no mercado norte-americano em 2014, foram levantados mais de US$ 25 bilhões na estreia em Wall Street, representando até hoje o posto de segundo maior IPO do mundo.

Outro atrativo do mercado chinês é que as empresas de tecnologia podem abrir-se para o mercado sem que os fundadores percam o controle delas. Em 2014, esse mecanismo ainda não existia no gigante asiático, por isso Jack Ma preferiu levar as ações da sua empresa para os Estados Unidos.

 

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?