Economia

Aneel propõe alta de 8,5% na tarifa da Amazonas Energia em revisão extraordinária

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs um aumento de 8,5% nas tarifas da Amazonas Energia. Para consumidores conectados à alta tensão, a alta seria de 8,90%, e para a baixa tensão, de 8,32%.

Os índices foram calculados no processo de revisão tarifária extraordinária (RTE) da companhia, em substituição ao reajuste tarifário anual da empresa. Se aprovado, o índice deve vigorar a partir de 1º de novembro.

A possibilidade de RTE está prevista no contrato de concessão da companhia, que é uma das seis ex-distribuidoras da Eletrobras. No processo de privatização dessas distribuidoras, em 2018, o governo permitiu que o novo concessionário solicitasse uma RTE entre a data de assinatura do contrato e a primeira revisão tarifária ordinária, prevista para 2023. Esse processo é realizado a cada cinco anos, com vistas a manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, mas não é feito para essas empresas desde 2013. Por isso, há muitos investimentos que ainda precisam ser remunerados, o que encarece as tarifas.

“Diferente de uma revisão ordinária, o atual processo cuidará única e exclusivamente da reavaliação da base regulatória de ativos da concessão, assim, preservará o nível regulatório de custos operacionais, indicadores técnicos de qualidades, além dos indicadores de perdas definidos no processo de licitação”, diz o voto.

Relator do processo, o diretor Sandoval de Araújo Feitosa ressaltou que o processo ainda passará por consulta pública e não é definitivo. Se aprovada nesses termos, a tarifa da Amazonas Energia, atualmente a terceira mais cara do País, passará a liderar o ranking.

Feitosa adiou a discussão do processo por três semanas, já que havia previsão de que o governo publicasse uma Medida Provisória para ajudar a reduzir o impacto das tarifas das ex-distribuidoras da Eletrobras no Norte e Nordeste. Até agora, no entanto, a MP ainda não foi publicada.

Algumas das propostas que devem constar da MP, antecipadas pelo Broadcast (sistema de noticias em tempo real do Grupo Estado), foram citadas pelo deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que fez uma sustentação oral durante a reunião. Com a publicação, o impacto de 8,5% poderá ficar menor.

Segundo Feitosa, a RTE da Amazonas estava prevista para ficar ainda maior, em 28,5%, um índice que ele considerou “impraticável”. Feitosa afirmou que a operação de socorro ao setor elétrico, a conta-Covid, reduziu os efeitos em 10,45 pontos porcentuais. Além disso, a empresa pediu para diferir componentes financeiros, o que contribuiu para a diminuição de outros 9,54 pontos porcentuais.

A proposta ficará aberta para consulta pública entre os dias 26 de agosto e 9 de outubro. A Aneel deve votar o processo em 27 de outubro.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?