Economia

Ambev é a empresa do ano

Mesmo com ciclo econômico ruim, maior companhia de bebidas do Brasil consegue se destacar e vence prêmio principal do anuário As Melhores da Dinheiro 2017

Crédito: Silvia Costanti / Valor

Um brinde a todos: o presidente Bernardo Paiva (de camisa branca, à frente) afirma que, em tempos de crise, a Ambev foca naquilo que a empresa pode controlar (Crédito: Silvia Costanti / Valor)

Para reduzir o impacto da crise econômica sobre suas vendas e seu resultado, a Ambev resolveu levar para as gôndolas dos supermercados a embalagem de vidro retornável. O que começou timidamente em 2014 foi intensificado em 2016. A decisão mirava a redução do poder aquisitivo do consumidor na compra de cervejas. A troca da latinha de alumínio pelo vidro pode baratear em até 25% o preço do produto. Num período em que o desemprego superou os 13% da população economicamente ativa, a Ambev criou uma alternativa para não deixar seu copo meio vazio. No ano passado, o total de vendas desses vasilhames chegou a 23%. No primeiro ano do projeto, foram apenas 9%. “Na Ambev, a gente tem como mantra trabalhar naquilo que podemos influenciar e ter o controle”, diz o presidente Bernardo Paiva. Pelo excelente desempenho num ambiente extremamente adverso, a Ambev foi eleita a Empresa do Ano pelo anuário AS MELHORES DA DINHEIRO 2017.

Ao mesmo tempo em que buscava aumentar as receitas e reduzir os custos, a Ambev trabalhava pela sustentabilidade de seu negócio. O grupo AB Inbev havia estabelecido uma meta global para suas empresas ao redor do mundo de usar, no máximo, 3,2 litros de água para cada litro de bebida envasado. O objetivo era alcançar esse resultado neste ano. A Ambev foi pioneira dentro dos negócios da holding ao bater a marca em 2015 e chegar ainda mais longe: 3,04 litros no ano passado, uma redução de 4,1% sobre 2015. Nos últimos 14 anos, a diminuição total de consumo de água na produção é de 43%. Para bater os indicadores, a companhia investiu no uso de equipamentos e tecnologia, na padronização de processos, em ações de reaproveitamento de água e em metas individuais e coletivas. “A operação no Brasil é referência mundial”, Ricardo Rittes, vice-presidente financeiro e relações com investidores da Ambev.

Diversidade e criatividade: a empresa decidiu reformular a identidade visual de suas marcas. A Skol reforçou seu posicionamento a favor da diversidade (acima). As máquinas de coletas de vasilhames vazios foram instaladas em 900 redes varejistas pelo Brasil

A crise da economia fez a Ambev trabalhar, também, sobre suas marcas e realizar a reformulação da identidade de algumas delas ao longo de 2016. A Skol ganhou um visual mais jovem, moderno e irreverente. A cervejaria decidiu reforçar a proposta da marca pelo debate, por influenciar o futuro e por moldar o comportamento do consumidor. Há cerca de três anos, a Skol deu início a essa estratégia ao ir contra o senso comum no mercado cervejeiro e não usar mais mulheres em posição serviçal em sua publicidade. A temática das propagandas passou a ser relacionada com a juventude e a diversidade. Esse posicionamento é refletido na valorização da marca da cerveja.  A Skol foi a Marca Mais Valiosa do País em 2017 pelo quinto ano seguido, no ranking produzido pela DINHEIRO em parceria com a Kantar Vermeer, com um valor que atingiu US$ 8,2 bilhões. A Ambev emplacou outras três marcas, além da Skol, entre as dez primeiras colocadas: Brahma, Antarctica e Bohemia.

As 1.000 maiores empresas do ano, com base nos resultados de 2016, tiveram uma receita líquida somada de R$ 3,78 trilhões, um crescimento de 1,5% sobre a receita do ano anterior. E, somando apenas os resultados das 100 maiores companhias, a expansão do faturamento é ainda maior: 2,2%, de R$ 2,83 trilhões para 2,89 trilhões. Além do perfil da vencedora, o anuário AS MELHORES DA DINHEIRO 2017 traz uma entrevista exclusiva com o economista Antônio Delfim Netto, reportagens com as empresas que foram destaque em gestão, como Grupo Pão de Açúcar (Recursos Humanos), Telefônica Brasil (Responsabilidade Social), Bradesco (Governança Corporativa) e Mercado Livre (Inovação e Qualidade) e EMS (Sustentabilidade Financeira), além de apresentar as empresas que conseguiram ficar em evidência em seus setores, mesmo com a crise econômica.