Amazônia sustentável

Chegou ao fim a primeira fase do projeto de educação ambiental em comunidades ribeirinhas e indígenas da Amazônia, numa parceria da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) com as Lojas Americanas. Um dos objetivos da ação foi desenvolver boas práticas em gestão de resíduos sólidos. Em pouco mais de um ano, o projeto coletou cerca de uma tonelada de resíduos em oito comunidades. Além de acesso a oficinas gratuitas e material didático exclusivo, os ribeirinhos receberam orientações para a construção e manutenção de aterros comunitários e aprenderam sobre a separação correta de diferentes tipos de materiais, descarte adequado e conscientização sobre a redução da geração de resíduos. O objetivo é reduzir em 10% o volume de resíduos gerados nas comunidades. Outras frentes de trabalho são voltadas à inclusão digital e capacitação tecnológica dos moradores.

(Nota publicada na Edição 1146 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A saída está no canteiro de obras

Retomada do emprego no Brasil ainda depende diretamente da reativação de obras públicas paralisadas. O problema é que com a União, os [...]

Responsabilidade ambiental nas salas de aula

Inovação e sustentabilidade podem coexistir nas escolas? Para a personagem virtual Valentina Faz, isso parece ser uma possibilidade. [...]

Bolsonaro para menores

A ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, conseguiu tirar o presidente Jair Bolsonaro do sério. Em 8 de dezembro, a fundadora do [...]

Os desafios para um futuro sustentável, segundo a Electrolux

O grupo Electrolux se uniu à empresa United Minds para investigar os comportamentos e as preocupações em assuntos relacionados à [...]

Desmatamento ilegal para produção de soja entra na mira de 87 empresas europeias

O cerco contra a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro está se fechando. Em 2 de dezembro, um grupo de 87 companhias [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.