Amazônia em chamas

Amazônia em chamas

Um fundo de investimento global com mais de US$ 4 trilhões na carteira já enviou carta às autoridades brasileiras pedindo o fim do desmatamento na Amazônia. Os principais banqueiros do País foram a Brasília para discutir uma agenda conjunta para proteção da floresta. Mas, ainda que os donos do capital tenham se unido à pressão pela preservação de um dos maiores biomas do mundo, o descaso dos responsáveis parece não ter fim. Entre agosto de 2019 e julho de 2020, a derrubada de árvores aumentou 43,5% sobre o mesmo período de 2018 a 2019, destruindo mais de 9 mil km² da maior floresta tropical do planeta. Além do desmatamento, a região sofre com as queimadas.

De janeiro a agosto, 63 mil focos de incêndios foram identificados, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Do total, 74% foram detectados depois de julho de 2020, quando o governo assinou documento proibindo as queimadas na região. Outros biomas também sofrem com o fogo. Só no Mato Grosso, foram registrados mais de 24 mil focos neste ano. No Pantanal, mais de 1 milhão de hectares já foram queimados, segundo o Ibama. É preciso considerar que parte dos focos tem origem espontânea provocada pela seca. É fato, também, que outra parte é criminosa. Enquanto a natureza arde, em Brasília baldes de água fria são jogados nos órgãos de proteção ambiental com os sucessivos desmanches de suas estruturas.

Evandro Rodrigues
Evandro Rodrigues

(Nota publicada na edição 1188 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Estado de emergência

Nem mesmo a notícia de que o fogo que consumiu mais de 3 milhões de hectares do Pantanal pode ter sido criminoso foi suficiente para [...]

Ingredientes locais valorizados

Inspirados no relatório Future 50 Foods, que traz os 50 alimentos do futuro por aliarem alto potencial nutritivo com baixo impacto [...]

R$ 1 milhão para economia circular

A fabricante de etiquetas Avery Dennison já investiu cerca de R$ 1 milhão no seu programa circular. Com o projeto, a empresa se compromete a transformar seus resíduos de liner papel, matéria prima para a fabricação de adesivos, em polpa celulósica utilizada na produção de papel-toalha usado em sua planta no Brasil. Estima-se que mais […]

Desmatamento sobe e impulsiona preço de cerveja

A Ambev lançou uma cerveja cujo preço flutua de acordo com os índices de desmatamento da Floresta Amazônica. Quando a área degradada [...]

Telemedicina para democratizar a saúde

Criado durante uma das expedições do Rally dos Sertões, com o objetivo de promover acesso gratuito à saúde em comunidades com [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.