Negócios

Amazon pagará zero em impostos pelo segundo ano consecutivo

De 2017 a 2018, a empresa de Jeff Bezos quase dobrou seus lucros, de US$ 5,6 bilhões para US$ 11,2 bilhões

Amazon pagará zero em impostos pelo segundo ano consecutivo

Foto tomada em 11 de novembro de 2014, mostra o logotipo da Amazon gigante americana do varejista em linha no centro da logística de Brieselang, a oeste de Berlim - AFP/Arquivos

Graças a diversos incentivos e abonos fiscais, a Amazon – que chegou a valer US$ 1 trilhão – pagará zero em impostos federais nos Estados Unidos. A notícia não é nova, uma vez que este é o segundo ano consecutivo que o e-commerce consegue através de mecanismos legais, passar ilesa pelas taxações americanas. A informação foi divulgada pelo Institute of Taxation and Economic (ITEP), orgão independente americano que estuda questões fiscais nos Estados Unidos.

De 2017 a 2018, a empresa de Jeff Bezos quase dobrou seus lucros, de US$ 5,6 bilhões para US$ 11,2 bilhões no último ano. A lei americana prevê que empresas devem pagar 21% de seus lucros para o estado, fazendo com que os US$ 129 milhões de abono fiscal divulgados pela Amazon no último ano representem uma taxa de -1% de impostos pagos.

O ITEP afirma que um dos motivos do “drible” fiscal da Amazon está no 2017 Tax Cuts and Jobs Act, conjunto de regulações aprovadas durante o mandato do presidente Trump que diminuiu de 35% para 21% a porcentagem cobrada sobre lucro das empresas, além de não ter corrigido diversos buracos na legislação que permitem empresas bilionárias como a Amazon pagar valores irrisórios (ou inexistentes) para os cofres do estado.

Nesta semana, o gigante do e-commerce anunciou que sua segunda sede – que foi disputada por unhas, dentes e abonos fiscais pelas cidades candidatas a recebê-la – que seria construída em Nova York, teve seu projeto cancelado após “um considerável número de políticos locais deixarem claro que se opõem à nossa presença e que eles não trabalharão conosco para construir o tipo de relacionamento necessário para continuar com este projeto”, disse a empresa em nota no seu blog oficial.