Geral

Amazon desiste de abrir sede em Nova York e culpa resistência política

Investimento de US$ 5 bilhões seria divido com a cidade de Arlington, na Virgínia, e previa a criação de 50 mil postos de trabalho

Amazon desiste de abrir sede em Nova York e culpa resistência política

A Amazon desistiu de construir uma sede na cidade de Nova York e justificou a decisão pela resistência política. Em um comunicado nesta quinta-feira (14), a gigante do varejo afirmou que “vários políticos estaduais e locais deixaram claro que se opõem à nossa presença e não trabalharão conosco para construir o tipo de relacionamento que é necessário para levar adiante o projeto que nós e muitos outros imaginamos.”

Depois de um verdadeiro show midiático e muita especulação, a Amazon anunciou no fim do ano passado a divisão do HQ2, como é chamada a nova sede, entre as cidades de Nova York e Arlington, na Virgínia. A empresa de Jeff Bezos chegou a afirmar que mais de 20 grandes centros dos Estados Unidos estavam sendo mapeados para receber o investimento de US$ 5 bilhões.

Cada cidade deveria abrigar um complexo da Amazon com capacidade para 25 mil trabalhadores. De acordo com o comunicado, a empresa manterá os planos de expansão em Arlington e outro em Nashville, este com capacidade para 5 mil funcionários.

Apesar da expectativa da criação de empregos e valorização do mercado imobiliário, muitos críticos contestaram os benefícios oferecidos por Nova York para abrigar o projeto. O estado havia se comprometido a dar US$ 1,5 bilhão em incentivos fiscais. Para piorar, um dos principais críticos, o senador Michael Gianaris, assumiu o Conselho de Controle das Autoridades Públicas, órgão responsável pela gestão dos recursos públicos.

Agora, fica à dúvida de para onde vão os investimentos de Bezos. Em nota, a empresa afirmou que não tem previsão para anunciar uma cidade substituta.