Economia

Alta na indústria em junho ante maio é a maior desde junho de 2018

A alta de 8,9% na produção industrial em junho ante maio foi a mais acentuada desde junho de 2018, quando tinha crescido 12,5%, após a perda provocada pela greve de caminhoneiros no mês imediatamente anterior. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, iniciada em 2002 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dois meses de altas, a indústria acumula um avanço de 17,9%, ainda insuficiente para recuperar a perda de 26,6% registrada nos meses de março e abril.

“O ganho acumulado de 17,9% não suplanta a perda dos meses anteriores. Só para gente relativizar esse crescimento, são expansões que ocorrem sobre uma base de comparação muito depreciada. A indústria opera no terceiro mais baixo patamar da série histórica. A indústria opera 13,5% abaixo do patamar de fevereiro, pré-pandemia”, observou André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

Mesmo com o desempenho positivo mais acentuado em maio e junho, a indústria ainda opera 27,7% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.

Em relação a junho de 2019, a produção recuou 9,0% em junho de 2020, oitavo resultado negativo seguido nesse tipo de comparação.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?