Economia

Alibaba recebe autorização para entrar na Bolsa em Hong Kong

Crédito: AFP

O Ant Group gerencia o Alipay, um dos dos sistemas dominantes de pagamento online na China (Crédito: AFP)

O braço financeiro da gigante chinesa do comércio online Alibaba recebeu, nesta segunda-feira (19), a autorização dos reguladores chineses para ser cotizada em Hong Kong, segundo informações publicadas online, mais um passo na realização da provavelmente maior Oferta Pública Inicial (IPO) da história.

O Ant Group espera obter 35 bilhões de dólares através da venda maciça de ações em uma oferta simultânea no centro financeiro de Hong Kong e na nova plataforma Star Market de Xangai, criada em 2019, indicou a agência Bloomberg, citando fontes não identificadas.

+ COVID-19: o grande acelerador do comércio online
+ Comércio online projeta faturamento 18% maior na black Friday deste ano

A empresa busca, dessa forma, obter esse valor que superaria os 29,4 bilhões de dólares captados pela saudita Aramco em dezembro em Riade.



A empresa gerencia o Alipay, o sistema dominante de pagamentos online na China, no qual o dinheiro, os cheques e os cartões de crédito foram ofuscados pelos aplicativos e pelos dispositivos de pagamento online.

Em setembro, a bolsa de Xangai autorizou a transação, o que significa que a empresa com sede em Hangzhou (leste da China) requer apenas uma aprovação da Comissão Reguladora Chinesa de Valores (CSRC).

Em sua apresentação de agosto, o Ant afirmou que usará o procedimento para ampliar seus pagamentos transfronteiriços e melhorar sua capacidade de pesquisa e desenvolvimento.

A decisão de não fazer a venda em Nova York é uma grande perda para os mercados nova-iorquinos e ocorre no momento em que Estados Unidos aumenta a vigilância das empresas de tecnologia chinesas.

Muitas empresas chinesas de alto nível, especialmente as do setor tecnológico, se mudaram para Hong Kong devido à tensão entre Estados Unidos e China.

A introdução do Ant na bolsa também é um golpe para Hong Kong na medida em que cresce a preocupação sobre as possíveis consequências da imposição de uma nova lei de segurança nacional na cidade.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago