Giro

Alemanha tem alta de extremismo entre militares e policiais

Alemanha tem alta de extremismo entre militares e policiais

Relatório identifica quase 330 casos com “evidências concretas” de atividades extremistas entre membros de forças de segurança entre 2018 e 2021. Cifra é o triplo da apurada em estudo similar divulgado em 2020.Um relatório oficial apontou evidências concretas de extremismo de direita em mais de 300 casos entre membros das principais agências de segurança da Alemanha. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (13/05) pela ministra do Interior do país, Nancy Faeser, durante entrevista coletiva em Berlim.

O relatório é divulgado em meio ao aumento de investigações pelas autoridades de segurança alemãs após a revelação de uma série de casos envolvendo a participação de policiais e militares em atividades e grupos de bate-papo de extrema direita.



O relatório examinou 860 casos suspeitos de julho de 2018 a junho de 2021 em agências de segurança federais e estaduais da Alemanha. Desses, foram encontradas “evidências concretas” de atividades extremistas de direita em 327 casos.

O Departamento de Proteção à Constituição da Alemanha (BfV) vê um aumento significativo de casos em comparação com o primeiro relatório, divulgado em 2020.

Nove vezes mais casos suspeitos

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


O número total de casos suspeitos é quase nove vezes maior, segundo o presidente do EfV, Thomas Haldenwang. O número de casos com evidências concretas é três vezes maior.

No entanto, ele afirmou não ser possível se concluir que existe um aumento do extremismo entre autoridades de segurança, já que o aumento das cifras, na avaliação Haldenwang, também está relacionado à uma intensificação das apurações sobre esses tipos de casos.


Foram analisados incidentes suspeitos de extremismo de direita, assim como de suspeitas de adesão a profissionais de segurança e militares ao movimento extremista “Reichsbürger” (cidadãos do Reich), que não reconhece a autoridade do atual Estado alemão.

A agência federal com mais casos foi o Serviço de Contrainteligência Militar da Alemanha (MAD, na sigla em alemão), com 83 membros confirmados como participantes de “atividades extremistas individuais”. A Polícia Federal alemã é a segunda corporação mais afetada, com 18 integrantes.

Saudação nazista

As atividades extremistas incluem a participação em eventos extremistas de direita e em grupos de bate-papo extremistas, além de vínculos com partidos e organizações extremistas.

Em alguns casos, alguns membros da agência de segurança participaram de manifestações da era nazista, como gritar “Sieg Heil” ou “Heil Hitler”, além de fazer a saudação nazista.

Faeser afirmou que o governo alemão não permitirá que a democracia do país “seja sabotada internamente por extremistas de direita”. A ministra acrescentou que mais de 500 ações disciplinares foram tomadas contra membros de equipes de segurança que participaram de atividades extremistas.

md (AFP, EPD)