Giro

Alemanha devolverá estátua roubada de Ngonnso a Camarões



Por Riham Alkousaa

BERLIM (Reuters) – A Alemanha devolverá uma estátua de uma deusa que foi roubada de Camarões há 120 anos, disse a Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano na segunda-feira, parte de uma tendência crescente de devolver artefatos levados durante a era colonial.

A figura feminina, conhecida como Ngonnso’, será devolvida ao reino de Nso’, no noroeste dos Camarões. Ela foi levada pelo oficial colonial Kurt von Pavel e doada ao Museu Etnológico de Berlim em 1903.

“Traga Ngonnso de volta”, uma iniciativa da sociedade civil, vem fazendo campanha pelo retorno da estátua há anos, com o povo Nso dizendo ter sofrido várias calamidades desde que a estátua foi roubada.




“A Ngonnso’ tem um papel central para o Nso’, pois ela é considerada uma divindade mãe”, disse a fundação em comunicado.

A fundação também anunciou que devolverá 23 peças à Namíbia e está planejando um acordo para repatriar objetos para a Tanzânia.

A Alemanha, que perdeu todos os seus territórios coloniais após a Primeira Guerra Mundial, foi a terceira maior potência colonial depois de Reino Unido e França. No entanto, seu passado colonial foi ignorado por décadas, enquanto historiadores e políticos se concentravam no legado dos crimes nazistas, incluindo o Holocausto.


No ano passado, a Alemanha anunciou sua intenção de devolver os Bronzes do Benin à Nigéria e pediu desculpas por seu papel no massacre de tribos Herero e Nama na Namíbia há mais de um século.

Mas seus museus ainda abrigam muitos artefatos famosos, como partes do portão da Babilônia do Iraque, que está em exibição no Museu Pergamon de Berlim.