Giro

Alegando problema de saúde, Pazuello pede para deixar comando de ministério, diz jornal

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

General da ativa e ex-ministro da Saúde, Pazuello mantinha relacionamento com Laura Appi no Ministério da Saúde (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)



O aumento no número de casos e mortes por covid-19 em todo o País levou à queda de mais um ministro da Saúde. Dessa vez foi o ministro Eduardo Pazuello, que alegou problemas de saúde e que precisaria de mais tempo para se reabilitar, segundo O Globo. Desde o início da pandemia, este é o quarto ministro que deixa o cargo.

O pedido de afastamento coincide com o auge da pressão de deputados do Centrão, que pleiteiam mudança no comando da Pasta por considerarem que há má gestão durante a pandemia.

+ OMS diz que pandemia piora no Brasil e pede ‘medidas sérias’ de autoridades

A entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o estopim para a queda do ministro. As críticas do ex-presidente à condução da pandemia pressionaram o presidente Jair Bolsonaro a buscar ações mais duras no combate à pandemia.




No mesmo dia após a fala de Lula, Bolsonaro apareceu em um pronunciamento usando máscara e com declarações em defesa da vacina. O general Eduardo Pazuello, que já vinha sofrendo críticas por parte de uma ala militar, não resistiu ao avanço da pandemia e neste domingo veio a informação de que ele deixaria o ministério.

De acordo com O Globo, pessoas próximas ao presidente já entraram em contato com dois médicos cardiologistas cotados para substituir Pazuello: Ludhmilla Abrahão Hajjar, professora associada da USP, e Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia.