Economia

Alcolumbre anuncia que marco do saneamento deve ser votado na próxima quarta

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou nesta quinta-feira, 18, que a Casa deverá votar na próxima quarta-feira, 24, o projeto do novo marco legal do saneamento básico, em sessão virtual do plenário. Segundo ele, a inclusão do projeto na pauta foi um compromisso assumido há duas semanas.

Ontem, em entrevista ao “Papo com Editor” do Broadcast Político, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), relator da matéria no Senado, disse que espera ler o seu parecer entre terça-feira (23) e quarta-feira (24) no plenário. Segundo ele, a intenção é que o texto aprovado na Câmara seja mantido no Senado.

O anúncio de hoje de Alcolumbre agradou Jereissati, que pretende disponibilizar seu relatório já nesta sexta-feira, 19, aos senadores. No entanto, lideranças do PSB, PSD e PT defenderam que a votação da matéria ocorra apenas após o retorno das atividades presenciais no plenário, por considerarem precipitada a análise agora do projeto.

Em defesa da apreciação da matéria, Jereissati disse que o projeto não trata da privatização, mas da universalização do serviço de saneamento. “Não posso entender o argumento de que o projeto não tem nada a ver com a pandemia, quando a principal orientação de todos os médicos é para lavar as mãos. Há gente que não tem água limpa na porta de casa para lavar as mãos”, disse o senador.



Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel