Dinheiro em Ação

Acordo de leniência chega ao balanço da Braskem

Crédito: Rogério Reis

Papéis avulsos

Em seu acordo de leniência, assinado em dezembro passado no âmbito da Operação Lava Jato, a Braskem se comprometeu a pagar uma multa de US$ 957 milhões (R$ 3,1 bilhões). A provisão para isso provocou um prejuízo líquido de R$ 2,637 bilhões no resultado do quarto trimestre da petroquímica, segundo prévia não auditada do balanço. A geração de caixa ajustada consolidada somou R$ 2,385 bilhões, queda de 10% na comparação anual. Esse número é medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida). As vendas no Brasil DIN1007-emacao2somaram 51% do faturamento total.

Estados Unidos e Europa responderam por 17%, o México por 6% e o restante ficou por conta de clientes menores. Em dezembro, a dívida líquida ajustada a companhia era de R$ 20,014 bilhões, já incluído o acordo de leniência. O prazo médio da dívida da empresa era de 14,6 anos. No quarto trimestre, a companhia investiu R$ 757 milhões, sendo R$ 573 milhões no Brasil.

 

Siderurgia

Prejuízo da Gerdau sobe no quarto trimestre

A combinação entre a queda na produção e nas vendas de aço afetou o grupo siderúrgico Gerdau, que teve prejuízo líquido de R$ 205 milhões no quarto trimestre, ante uma perda de R$ 41 milhões no mesmo período de 2015. A desempenho da empresa refletiu a readequação dos níveis de estoques no Brasil e na América do Norte, além do recuo de 2,3% nas vendas, para 3,8 milhões de toneladas.
No ano, as ações da siderúrgica sobem 21,4%.

 

Touro x Urso

DIN1007-emacao4Apesar de a alta de 6,1% no mês, até a quarta-feira 22, não parecer tão expressiva, o Índice Bovespa superou 69 mil pontos na terça-feira 21, o maior nível desde abril de 2011. A alta foi sustentada pelo avanço das ações da Vale e pela alta das cotações do minério de ferro. O mercado, porém, está cada vez mais propenso a uma realização de lucros.

 

DIN1007-emacao3

 

Shoppings

Iguatemi: desconto nos resultados

Controle de custos e melhor desempenho operacional elevaram para R$ 49,8 milhões o lucro líquido da administradora e incorporadora de shoppings centers Iguatemi no último trimestre do ano passado. Foi uma alta de 18% na comparação anual. No entanto, no ano, o lucro líquido encolheu 15%, para R$ 164 milhões, apesar de a receita líquida ter avançado 5%, para R$ 668 milhões. No ano, as ações sobem 19,5%.

 

Destaque no pregão

Menor, Hypermarcas lucra mais

Cláudio Bergamo
Foto: Leonardo Rodrigues/Valor/Folhapress

Depois de vender seus negócios de fraldas por R$ 1 bilhão, e o de preservativos por R$705,8 milhões, a Hypermarcas, que fabrica medicamentos e produtos de saúde e bem-estar, encerrou o ano com lucro de R$ 1,174 bilhão, mais que o dobro do ganho de R$ 559,9 milhões em 2015. No entanto, no quarto trimestre, a companhia comandada por Cláudio Bergamo, sofreu um prejuízo de R$ 212,5 milhões, ante um lucro de R$ 283 milhões no mesmo período de 2015. Entre outubro e dezembro, a receita líquida de operações continuadas cresceu 11,5%, de R$ 756,2 em 2015 para R$ 843,3 milhões em 2016. No ano, as ações sobem 5,9%.

Palavra do analista:
Os analistas da Citi Corretora destacam a alta das vendas no quarto trimestre, mas notam que a geração de caixa deve crescer 8,5%, abaixo dos 16% previstos para 2016, mostrando menos espaço para reajustar medicamentos.

 

Varejo

Magazine Luiza brilha na internet

Frederico Trajano
Foto: Murillo Constantino

O Magazine Luiza, de Frederico Trajano, teve lucro líquido de R$ 46,1 milhões no quarto trimestre, revertendo o prejuízo de R$ 52,4 milhões de igual intervalo de 2015. As vendas do comércio eletrônico, que cresceram 41,4%, alcançaram o patamar recorde de 26,3% do total. No ano, a varejista lucrou R$ 86,6 milhões, ante prejuízo de R$ 65,6 milhões em 2015. No ano, as ações sobem 82,4%.

 

Mercado em números

USIMINAS
€ 1,5 bilhão – É o valor estimado que a siderúrgica Ternium, controladora da Usiminas, para comprar 100% da participação da Thyssenkrupp na Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA)

ULTRAPAR
R$ 5,7 bilhões – É a dívida do grupo, que comprou a rede de postos de combustíveis Ale e a distribuidora de gás de cozinha Liquigás, em dezembro de 2016. Em 2015, essa cifra era de R$ 4,9 bilhões

BM&FBOVESPA
R$ 1,4 bilhão – Foi o lucro da bolsa no ano passado. A cifra encolheu 34,3% em comparação com 2015, devido à reversão de impostos da venda das ações do CME Group

DAYCOVAL
R$ 422,8 milhões – Foi o lucro líquido do banco no ano passado. O número representa uma alta de 17,3% sobre 2015

NATURA
R$ 201,8 milhões – Foi o lucro líquido da fabricante no quarto trimestre, alta de 38,8% em comparação com igual período de 2015