Edição nº 1121 17.05 Ver ediçõs anteriores

Acelerando na China

Acelerando na China

Elon Musk quer aumentar, e muito, a velocidade de seus negócios fora dos Estados Unidos. Na segunda-feira 7, o CEO da Tesla anunciou que a fábrica que pretende erguer em Xangai, na China, terá sua primeira etapa concluída até o fim deste ano.
Com investimento de US$ 2 bilhões, a planta terá capacidade para produzir 500 mil veículos anualmente dos modelos Model 3 e Model Y, crossover que está sendo desenvolvido pela companhia. De acordo com Musk, a produção chinesa focará apenas nos automóveis de entrada, sendo que os modelos mais parrudos continuarão com sua produção em solo americano. A ideia é diminuir as tarifas de importação de veículos ao mesmo tempo em que tenta não se envolver na guerra comercial dos dois países. “Carros acessíveis devem ser construídos no mesmo continente em que estão os clientes”, diz Musk.

(Nota publicada na Edição 1103 da Revista Dinheiro)


Mais posts

WhatsApp é hackeado

NSO Group é uma empresa cibernética israelense fornecedora de governos e agentes de segurança. Ela se tornou globalmente famosa no [...]

Lenovo anuncia primeiro notebook de tela dobrável

A Lenovo afirmou que irá produzir o primeiro notebook dobrável do mundo e liberou imagens de um protótipo do ThinkPad. A empresa [...]

“Tornar fácil fazer negócios em qualquer lugar”

Missão do Alibaba.com (Nota publicada na Edição 1121 da Revista Dinheiro)

Filtro dá up ao Snapchat

O fim de semana do Dia das Mães foi tomado pelos filtros que transformavam o rosto das pessoas dando a elas uma versão ‘baby face’. Ao [...]

Nova fronteira da IA: reconhecimento de voz

Se a primeira era da interação homem-máquina foi tátil (daí o digital), a segunda será por voz. A Pandorabots, empresa que tem sedes em [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.