Economia

ABCR: fluxo de veículos em estradas com pedágio aumenta 18% em junho ante maio

O fluxo de veículos nas estradas com pedágio continuou a se recuperar na margem do baque sofrido em março e abril no contexto da crise provocada pelo novo coronavírus. Em junho, houve crescimento de 18% ante maio, com ajuste sazonal, segundo a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e a Tendências Consultoria Integrada. Houve aumento tanto no movimento de veículos leves (20,8%) quanto de pesados (9,7%).

Contra junho de 2019, contudo, o fluxo de veículos em estradas com pedágio continua em queda (-22,1%), mas bastante afetado pelos veículos leves (-29,2%), enquanto os pesados mostram apenas redução marginal no movimento (-0,3%).

No acumulado de 2020, há recuo de 18,8% no fluxo de veículos em rodovias com pedágio (-23,1% de leves e -5,5% de pesados). Já em 12 meses até junho, a queda é de 7,7% (-9,9% de leves e -1,1% de pesados).

“Ao se observar a métrica de comparação anual, o fluxo de pesados apresentou praticamente estabilidade. Além da menor subutilização da economia durante as quarentenas, também ajudou no resultado o maior número de dias úteis em junho deste ano frente a igual mês do ano passado (dois dias adicionais). Quanto aos veículos leves, ainda que registre menores quedas comparado a abril, o indicador continua no terreno negativo”, afirma Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria.



Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel