Negócios

A startup de Oprah

Como a Sharecare, empresa da famosa apresentadora americana, pretende administrar a saúde dos brasileiros

Crédito: Divulgação

Sócios: Dr. Mehmet Oz, famoso por aparições na TV, e Oprah Winfrey, estão entre os investidores da startup avaliada em US$ 2 bilhões (Crédito: Divulgação)

Além de potencial candidata à Presidência e de ser uma das apresentadoras de tevê mais consagradas dos EUA, Oprah Winfrey se destaca como uma defensora de causas sociais. Seus investimentos empresariais também costumam contemplar essa preocupação. Uma dessas companhias é a Sharecare, fundada em 2010, com um aporte de US$ 13 milhões, desembolsado pela Harpo Productions (empresa de Oprah), pelo Dr. Mehmet Oz, também famoso por suas aparições na tevê, e por outros investidores. A startup é considerada uma das que mais cresce no segmento de tecnologia médica, um nicho apontado nos últimos anos como a nova bola da vez do Vale do Silício. “Os setores de transportes, financeiro, de hospedagem e de entretenimento já passaram por revoluções digitais.

Agora, vem a da saúde”, dizJeff Arnold, fundador da startup. O modelo da Sharecare se baseia na coleta de informações de saúde dos usuários, por meio de celulares. A partir desses dados, a ideia é permitir que empresas de seguro saúde acompanhem a evolução de seus segurados e ofereçam descontos para quem se cuida melhor. Para os grandes empregadores, o objetivo é reduzir os custos relacionados à saúde e os índices de absenteísmo. Depois de alcançar um valor de mercado de US$ 2 bilhões e 68 milhões de usuários, a empresa chega agora ao Brasil.



O País é o quarto mercado a receber uma operação direta da Sharecare. “A expectativa é alcançar de 3 milhões a 5 milhões de usuários em 2018, com clientes corporativos ou governamentais”, diz Nicolas Toth, CEO da Sharecare no País. Mas a operação não começa do zero. Em 2016, a startup comprou a Healthways, que já atuava no Brasil desde 2008, em parceria com o laboratório Fleury, que usava a solução para acompanhar a saúde de doentes crônicos. Em 2015, a SulAmérica investiu R$ 250 milhões em uma joint venture com a Healthways, que contemplou 1,5 milhão de clientes. “A ferramenta intensifica o que fazemos, oferecendo ao segurado uma experiência personalizada, eficaz e divertida para cuidar da saúde”, afirma Maurício Lopes, vice-presidente de saúde e odonto da SulAmérica. “Acreditamos que a redução do número de sinistros e a melhora da saúde geral dos beneficiários serão consequências naturais desse processo.” No País, o Grupo Pão de Açúcar também utiliza a ferramenta.

Para estruturar a operação, a Sharecare abriu um escritório na Avenida Faria Lima, na Zona Oeste de São Paulo, e contratou 200 pessoas. A empresa tem conversas com prefeituras para levar a plataforma a seus cidadãos, e vê potencial em trazer contratos internacionais ao Brasil. Além da Healthways, a startup também está trazendo outros recursos da sua solução, incluindo serviços de acompanhamento mais sofisticados. Por exemplo, um aplicativo capta, pelo celular, a voz da pessoa em conversas telefônicas para identificar níveis de estresse. Por meio dos sensores de movimento do celular, também identifica quantas horas o usuário descansa por noite. Para divulgar a sua chegada, a empresa preparou campanha com blogueiros e em redes sociais, além de contar com as atrizes Letícia Spiller e Cris Vianna como embaixadoras.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia




Tópicos

filantropia Oprah