A semana do 13 de maio

A semana do 13 de maio

O artigo desta semana poderia começar como venho fazendo há mais de três anos nesta coluna, dando os números estarrecedores sobre as desigualdades raciais no Brasil, onde um trabalhador negro ganha em média R$ 1.673,00 contra R$ 2.999,00 de seu colega branco. Ou seja, um trabalhador negro hoje, 133 anos após o fim da escravidão, ganha 55% menos que um trabalhador branco, segundo dados oficiais do IBGE. Poderia discorrer sobre esses números, mas, no momento, notícias ruins é o que não falta, então vamos mudar o disco.

Esta semana participei de vários webnairs com empresas comprometidas com a igualdade racial e a inclusão em seus quadros. A tônica das discussões foi o crescente aumento da covid-19 entre a população preta e pobre e os efeitos colaterais na saúde física e econômica brasileira, sendo os pobres, pretos e periféricos os principais alvos.

Em termos de representatividade e importância do tema, fiquei surpreso com adesão maciça de empresas, gestores e também com o público participante, que, mesmo de casa e de forma remota, estavam atentos ao debate sobre a questão racial, em tempos de coronavírus, mostrando o amadurecimento da sociedade brasileira para este tema.

O ponto mais positivo que pude sentir foi ver o grande comprometimento da alta direção dessas empresas (pelo menos as que palestrei), que, mesmo no ambiente adverso em que estamos passando de forma global e local, incluíram a pauta da igualdade racial na ordem do dia. Bom exemplo foi o de uma gigante multinacional alemã da área química, em que o próprio CEO convocou internamente os funcionários e mediou minha fala e o debate sobre o racismo estrutural brasileiro e seus reflexos no cotidiano das empresas.



Ao final da maratona lembrei das sábias palavras que ouvi em uma recente entrevista concedida a mim pela Dra. Valdirene Silva de Assis, procuradora-geral do trabalho em São Paulo: “A crise humanitária e econômica que o Brasil vivencia só evidencia a urgência da pauta da inclusão racial”. E continuou: “Os impactos serão sofridos de forma desproporcional pela comunidade negra que seguramente terá o maior número de desempregados. A pauta da igualdade racial será intensificada e potencializada, é a forma de suavizar os efeitos nefastos desta crise na sociedade brasileira.”

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


Sobre o autor

O blog Diversidade Corporativa, de Mauricio Pestana, ex-secretário de Igualdade Racial do município de São Paulo, é um espaço destinado à reflexão e ao debate sobre o panorama da diversidade racial e de gênero no mundo empresarial. Traz temas relacionados a políticas afirmativas e inclusão social e apresenta soluções para fomentar o desenvolvimento socioeconômico da população historicamente excluída da economia e ambiente corporativo no Brasil


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.