As Melhores da Dinheiro 2019

A revolução no supermercado

Sob o comando do CEO Peter Estermann, o GPA mais que duplicou o seu lucro em 2018. A receita? investir em transformação digital e no fortalecimento de marcas

Crédito: Divulgação

Peter Estermann, CEO do Grupo Pão de Acúcar: “Temos um plano estruturado de transformação digital, com diferentes áreas atuando para levar experiências aos nossos clientes” (Crédito: Divulgação)

Desde abril do ano passado, quando assumiu a presidência do Grupo Pão de Açúcar, o dia-a-dia do CEO Peter Estermann remete à rotina de um presidente de startup. O executivo deixou a Via Varejo — dona de marcas como Casas Bahia e Ponto Frio — para orquestrar uma revolução digital dentro da maior e mais tradicional companhia varejista do País. Sua estratégia não se limita a desenvolver aplicativos ou um novo site, mas em aprimorar a experiência de compra dos clientes, segundo ele. “O GPA segue ainda focado em liderar no varejo alimentar brasileiro o processo de transformação digital, lançando e consolidando novidades em tecnologias que beneficiem a jornada de compras dos clientes, como, por exemplo, a ampliação de atuação do James Delivery e do Cheftime, startups adquiridas recentemente pela companhia”, diz Estermann. A Cheftime é uma foodtech pioneira para a venda de soluções gastronômicas, caso de combos e de refeições semi-prontas.

Os números endossam que a companhia está colhendo bons dividendos desse plano. No ano passado, o Grupo Pão de Açúcar mais que duplicou o seu lucro líquido, em comparação a 2017, atingindo a marca de R$ 1,3 bilhão. No mesmo período, as vendas atingiram R$ 53,6 bilhões, um crescimento de 10,7% na comparação com 2017. Em paralelo à transformação digital, o GPA investiu no fortalecimento de marcas exclusivas. Além de parcerias com startups, reposicionou a marca exclusiva Qualitá e investiu pesado na otimização do portfólio de lojas, com forte expansão do Assaí — em categoria conhecida como atacarejo —, revitalização e modernização de unidades das bandeiras Pão de Açúcar e lançamento de duas marcas: Compre Bem e Mercado Extra. “Essa estratégia foi fundamental para dar mais poder de escolha aos clientes, em um momento de mudanças no perfil de consumo. E a expansão segue firme em 2019. Tanto é que, no e-commerce, o crescimento de 37% no segundo trimestre de 2019, mostra que a estratégia está no caminho certo.”

Peter Estermann / Empresa: Grupo Pão de Açúcar / Cargo: CEO / Principal realização da gestão: comandar a transformação digital da maior empresa de varejo alimentício do brasil, com a aquisição de startups e o aprimoramento das experiências de compra (Crédito:Divulgação)

Como parte da ofensiva para crescer em um mercado cada vez mais digital, o GPA se aliou à Microsoft para acelerar o processo de transformação. Até o fim deste ano vai testar em lojas físicas novas tecnologias desenvolvidas para melhorar a experiência do consumidor. A parceria surge num momento em que a concorrência se acirra no maior mercado da América Latina, com varejistas se esforçando para integrar suas lojas físicas ao comércio digital, que vem crescendo em um ritmo de duplo dígito nos últimos anos no país. “Temos um plano estruturado de transformação digital, com diferentes áreas atuando para levar estas experiências aos nossos clientes, aliando todo o conhecimento que temos do perfil de consumo dos nossos clientes às tendências de consumo. Isso é um diferencial importantíssimo que se materializa com bastante sucesso em nossos aplicativos de fidelidade Pão de Açúcar Mais e Clube Extra, cujo número de downloads cresceu 58% para 9,3 milhões no segundo trimestre de 2019”, afirma Estermann.

É por meio deles, segundo o executivo, que os clientes acessam ao programa pioneiro Meu Desconto, que oferece descontos personalizados de acordo com o histórico de compras de cada um. “O GPA também conta com outras iniciativas para aprimorar a experiência de compra do cliente, como o Self Checkout, modalidade de caixas em que o próprio consumidor passa suas compras e paga, sem interferência de um funcionário, e já está em operação em algumas lojas das bandeiras Compre Bem e Pão de Açúcar”, acrescenta o CEO. “Outra novidade tecnológica em meios de pagamentos é o Scan&Go, em teste piloto em uma loja Minuto Pão de Açúcar. Nela, o cliente utiliza o próprio aparelho celular para escanear os códigos de barra dos produtos e efetuar o pagamento, sem necessidade de passar por um caixa.”

O avanço do GPA, na contramão das dificuldades da economia, atesta que as grandes empresas – quando conseguem – estão empenhadas em não participar da crise. “Não existe uma retomada rápida da economia. Para o último trimestre desse ano já esperamos o início de uma melhoria no nível de confiança dos brasileiros. Dessa forma, o GPA, segue trabalhando para atender os clientes nesta retomada, mantendo o foco na estratégia multiformato, multicanal e multiregião, sempre para proporcionar uma melhor experiência de compra para o nosso cliente”, garante Estermann.