A resolução de Ano-Novo de Flávio Augusto

A resolução de Ano-Novo de Flávio Augusto

Há 11 anos e com 200 filiais da Wise Up, o empresário e investidor Flávio Augusto da Silva, sócio-proprietário da Wiser Educação, do time Orlando City e idealizador da plataforma meuSucesso.com, está determinado a acelerar a diversificação de seus negócios em 2020. E a estratégia para isso está definida: o private equity (investimento privado em empresas que ainda não são listadas em bolsa de valores).

Em 2008, quando recebeu a proposta do bilionário Carlos Wizard Martins para comprar sua rede de escolas por R$ 200 milhões, ele teve um choque de realidade.

Pediu 30 dias para pensar na resposta enquanto tentava analisar a estratégia do então concorrente, dono da rede de escolas de idiomas Wizard. “Eu precisava saber o que Wizard enxergava no meu negócio. Então fui atrás de entender como o equity funciona”, conta. Depois de entender o que o equity representaria, ele se tornou um entusiasta do conceito – e tem pregado o uso do equity para que as empresas possam crescer mais. Em entrevista à repórter Katherine Rivas, durante o evento Masterclass Power House 2020, em São Paulo, Flávio Augusto, com mais de R$ 2,1 bilhões em empresas, explicou por o equity é importante para gerar valor em um negócio.

Por que empresários brasileiros não sabem lidar com equity?
Os pequenos e médios empresários estão focados em sobreviver, crescer ou desenvolver produtos. Não existe conhecimento nem lugar para aprender sobre isso. O empreendedor vai procurar onde? Na universidade? No Sebrae?

No Power House, notei que 70% do público, cerca de 2,8 mil empresários, não sabiam o que equity significava.

Como o equity valoriza o negócio?
Olho muito para o valuation, o interesse do mercado e do investidor na empresa.

Quando crio um negócio, toda a minha gestão é orientada no equity. Assim, implemento itens como recorrência, margem alta, governança, auditoria, entre outros. Desde o primeiro dia da fundação do meuSucesso.com, que hoje tem quatro anos de existência e um valor de R$ 200 milhões, o projeto nasceu fundamentado no equity. Com foco no valor, não apenas no lucro.

Há planos de aquisições em 2020?
Sim. Até abril quero fechar as negociações. São duas empresas do setor de educação, que serão adquiridas com capital próprio. No momento, não posso revelar o nome. O que podemos adiantar é que estamos interessados em novos negócios nas áreas de educação, franchising, idiomas e edutechs.

Vai abrir o capital?
O IPO está nos nossos planos, mas ainda não definimos se será no Brasil ou no exterior. Queremos que aconteça este ano. Então, o plano para 2020 é expandir, investir, fazer aquisições e abrir capital.

(Nota publicada na edição 1153 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Paris Filmes está pronta para entrar em cena

O empresário Sandi Adamiu, herdeiro e sócio da Paris Filmes, uma das maiores distribuidoras cinematográficas do País, gastou boa parte de seus dias de isolamento social subindo e descendo a Serra do Mar, num trajeto entre São Paulo, onde mora e trabalha, e a cidade de Parati, no litoral Sul do Rio de Janeiro. Mas […]

Um marketplace da indústria

A ABB Eletrificação, braço da gigante multinacional suíça do setor elétrico, vai lançar na próxima semana um inédito marketplace voltado a empresas e consumidores finais. Com isso, vai reduzir o número de intermediários no processo de venda. A ideia de criar um marketplace foi apresentada pelo CEO Marco Marini ao board global, que não só […]

Lucro sim, mas com propósito social

Aos 32 anos, a jovem belorizontina Taynaah Reis tem pela frente uma missão digna de executivos de alta patente. Fundadora e CEO da Moeda Seeds Bank (Banco Moeda Semente), primeira fintech social do País, ela quer ampliar de R$ 6,5 milhões a atual carteira de nano e microcrédito – 80% dos recursos emprestados para mulheres […]

Investimentos sem crise

Maior corretora de investimentos do Paraná, a curitibana Allez Invest dobrou de tamanho em 2020. A empresa registrou crescimento de 95,8% em ativos, superando R$ 250 milhões em custódia. Segundo seu sócio-fundador, Renan Hamilko, a explicação para isso é a profissionalização do setor de investimento no mercado paranaense, antes restrito aos bancos tradicionais, e a […]

À procura dos nômades digitais

A popularização do trabalho remoto neste ano tem contribuído para o fim das limitações para vistos de trabalho em todo o mundo. Muitos países, inclusive, enxergam no home office uma oportunidade para atrair profissionais qualificados. É o caso de Austrália, Espanha, Estônia, México, Portugal e, mais recentemente, as ilhas caribenhas de Bermudas. O território britânico […]

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.