A relação entre os parques e as pessoas

A relação entre os parques e as pessoas

O Instituto Semeia, organização sem fins lucrativos que busca fomentar parcerias público-privadas para conservação e exploração de parques urbanos e naturais, elaborou pesquisa com a finalidade de compreender o que as pessoas pensam sobre concessões de parques públicos além de tenra entender também as razões que fazem com que a visitação das unidades de conservação existentes seja ainda muito baixa no País. Para Fernando Pieroni, diretor do Semeia, o poder público não tem condições de, sozinho, cuidar de todos os parques existentes e a melhor alternativa para a conservação seria por meio de parcerias com a iniciativa privada, que faria a exploração econômica dos espaços dentro de uma política ambiental definida pelo poder público. “Não se trata de entregar tudo nas mãos das empresas e deixar que elas façam o que bem entender”, disse. “A ideia é que a iniciativa privada explore esses espaços em troca de contribuir com a conservação deles e dar apoio nas atividades de fiscalização.” O levantamento mostra, por exemplo, que 53% dos pesquisados são favoráveis a concessões e parcerias para a manutenção de parques naturais e 64% apoiam concessões de parques urbanos. Outro dado curioso é que 83% dos entrevistados concordam que “mesmo quando tem dinheiro o governo não é eficiente na gestão dos seus recursos”. No que diz respeito à visitação de parques naturais, 47% responderam que a principal barreira é o alto custo da viagem. Quanto aos parques urbanos, a grande distância entre local de residência e destino é o principal empecilho para 31%. Questões como segurança e infraestrutura deficitária também são citados como barreiras. O estudo ajudará na elaboração de propostas de concessão e também nas estratégias necessárias para que as pessoas olhem com mais interesse para os parques, sejam nacionais, estaduais ou municipais.

(Nota publicada na edição 1162 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

O capital é verde

Uma lista com as 100 empresas administradas de modo mais sustentável no mundo acaba de ser divulgada pelo The Wall Street Journal. [...]

Papo responsável

Com apenas 22 anos, a brasileira Lana Weidgenant tem chamado atenção em Washington por sua luta pelo clima e por políticas mundiais [...]

O algodão agroecológico da Renner

Com vistas a cumprir a meta de ter 80% de sua produção classificada como baixo impacto ambiental, a Renner apresenta uma linha de [...]

O plano de Joe Biden para a Amazônia

No vácuo de uma postura assertiva do presidente Jair Bolsonaro pela preservação da Amazônia, um grupo suprapartidário de [...]

Belém sediará Fórum de Bioeconomia

Pela primeira vez o Fórum Mundial da Bioeconomia deixa seu país-sede, a Finlândia, para ser realizado no Brasil, na região amazônica. O evento, nos dias 18 a 20 de outubro, ocorrerá de forma on-line e presencial com uma agenda que distribuída em quatro grandes eixos. A bioeconomia: pessoas e políticas do planeta; Líderes globais e […]

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.