Live da Dinheiro

“A pandemia quebrou paradigmas e mostrou que é possível ser eficiente digitalmente”, diz CEO da SAP

Crédito: Divulgação

Cristina Palmaka: “Todos os processos atuais foram acelerados” (Crédito: Divulgação)

A CEO da SAP na América Latina e Caribe, Cristina Palmaka, foi a convidada da live da Dinheiro, na segunda-feira, 10. Em entrevista ao jornalista Beto Silva, ela descreveu os desafios de liderar a empresa e analisou os efeitos da pandemia do coronavírus no mundo dos negócios, principalmente da sua área de TI. Também revelou seu hobby, que é a prática de maratona, e explicou como o esporte influencia no seu cotidiano.

Para Cristina, a crise sanitária provou que a digitalização não é mais uma opção e, sim, uma necessidade para superar tempos difíceis e alcançar os resultados comerciais desejados. “A pandemia quebrou paradigmas e mostrou que é possível ser eficiente digitalmente”, avalia.

+ O LAB brasileiro da SAP

Com mais de 30 anos de atuação profissional, ela comanda a SAP Brasil desde 2013, depois de ter ocupado vários e importantes cargos executivos em grandes empresas de tecnologia no mercado brasileiro, como a Philips, a HP e a Microsoft. Na live, a executiva disse que a SAP Brasil registrou um segundo trimestre de crescimento nos contratos de soluções de gestão, tanto com foco na experiência do cliente e colaboradores, com o SAP Qualtrics, como em gestão de despesas, com o SAP Concur, Digital Supply Chain e a linha de produtos de Analytics e Data Management.

Cristina avaliou que o mundo passa por um momento em que a tecnologia, mais do que trazer agilidade aos processos e ganhos de produtividade e otimização de gestão, tornou-se essencial para moldar os negócios ao novo contexto, trazendo respostas mais rápidas. No entanto, ela entende que o Brasil está atrasado neste processo de integrar informações, digitalizar processos e agregar valor de forma ampla. “A gente está sempre um pouquinho atrás do resto do mundo”, avaliou.

Na entrevista ao vivo, ela falou sobre o desempenho econômico da empresa. No primeiro trimestre deste ano, a SAP obteve um crescimento de 7% em receitas totais, na comparação com igual período do ano passado, para 6,52 bilhões de euros.

Nas receitas das soluções em nuvem, o resultado foi 27% superior, concentrado principalmente na oferta de aplicações de SAP Qualtrics e SAP Customer Experience, que reúnem sistemas de relacionamento com clientes, e-commerce e marketing cloud. Ao certo, a corrida pela digitalização fez o mercado avançar rapidamente. “Todos os processos atuais foram acelerados”, disse a CEO.

Diante da crise da covid-19, com a adoção em massa do regime de trabalho remoto, a digitalização foi essencial e, em muitos casos, com soluções realizadas remotamente pela SAP. “Realizamos grandes implementações de maneira totalmente virtual, o que reforçou ainda mais nossa certeza de que a transformação digital traz resultados concretos para os negócios e permite uma adaptação rápida, mesmo em situações de instabilidade”, destacou.

Cristina é formada em ciências contábeis pela Fundação Armando Álvares Penteado com pós-graduação e MBA pela Fundação Getulio Vargas e extensão pela Universidade do Texas. Transformou a subsidiária brasileira da SAP em uma das que apresentaram melhores resultados mundialmente, sempre com foco no trabalho em equipe e desenvolvimento.

A executiva é uma grande defensora da diversidade e da inclusão no local de trabalho, tendo recebido importantes prêmios e sido nomeada pela revista Forbes como uma das principais CEOs no Brasil. Para ela, a prática de corridas de rua de longa distância, ou qualquer outra modalidade esportiva, leva a um aprendizado que depois será usado em outros aspectos da vida. Entre as maratonas e o mundo corporativo, Cristina diz que gosta de elencar características comuns aos dois universos: objetivos claros, disciplina, preparação, liderança, trabalho em equipe, resiliência e equilíbrio físico e mental. Segundo a executiva, é durante a corrida que ela consegue solucionar problemas mais complexos e colocar a cabeça em ordem. “O esporte é a forma de manter a alma e o corpo equilibrados”, entende.

No bate-papo, ela falou sobre a importância do uso das tecnologias no mundo dos esportes, revelou bastidores do uso de dados pela Seleção da Alemanha na Copa do Mundo de 2014, com um software de desempenho esportivo. “Descobriu-se que ninguém tinha condições em velocidade para encarar o Messi”, revelou.

Ela também descreveu os investimentos na construção de um novo prédio da SAP Labs Latin America, na cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, na região de Porto Alegre. E antecipou que os principais temas do mundo nos próximos tempos serão a sustentabilidade, a mobilidade e a economia circular. “A tecnologia a serviço da transformação. A gente faz software, mas o bom mesmo é o contato com as pessoas.”

Assista a entrevista também em todas as redes sociais da IstoÉ Dinheiro.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?