Ciência

A pandemia está no fim? O mundo parece acreditar que sim

Crédito: Pixabay

Alguns países na Europa já estão abandonando o uso da máscara e caminham para um cenário de fim da pandemia (Crédito: Pixabay)



O avanço da vacinação no mundo começa a surtir efeito e muitos países já desaceleram protocolos sanitários: o fim do uso de máscaras em locais abertos e fechados, a queda da limitação ao público em bares e restaurantes, além do fim da necessidade de apresentar um certificado de vacinação são itens que começam a desaparecer do horizonte de países em que a imunização é maior.

A Itália, por exemplo, é um desses países que já não exige mais o passaporte vacinal para quem tomou a terceira dose ou está com o esquema vacinal completo. A máscara ao ar livre é facultativa e eventos públicos, como jogos de futebol, deverão contar com 75% da capacidade a partir de 1° de março.

+ Subvariante da ômicron pode ser mais agressiva e atingir pulmões, diz pesquisa
+ OMS diz que períodos de quarentena podem ser encurtados em lugares com muitos casos de Covid-19

Esquema parecido segue a França, que vai derrubar o uso da máscara em lugares fechados, apesar de manter a regra nos transportes públicos e locais em que o passaporte de vacina é obrigatório. A mudança deve acontecer no dia 28.




País nanico na Europa, porém com um dos maiores IDHs do planeta, a Dinamarca conta com 85% da população completamente vacinada e uma taxa de letalidade que não ultrapassa 0,22%. O resultado: todos os protocolos foram abandonados.

Taxas de vacinação entre uma e duas doses no mundo
Taxas de vacinação entre uma e duas doses no mundo (Crédito:Our World in Data)

No Brasil, o total de vacinados com duas doses ou dose única chega a 71,43%, o equivalente a 153 milhões de pessoas, segundo dados oficiais. Apesar disso, o número de vacinados com terceira dose é baixo, de apenas 27% (58 milhões) e cientistas acreditam que o poder de desinformação e a campanha anti-vacina estão gerando um recuo nas taxas de vacinação, sobretudo entre as crianças – somente 35,89% dos pequenos entre 5 e 11 anos tomaram a primeira dose.

Estados como Amapá e Roraima apresentam índices pífios: 43,13% e 44,38%, respectivamente, da população vacinada com duas doses. São Paulo, que se intitula a capital da vacina, mais de 80% da população está imunizada.


De pandemia para endemia

Em março de 2020, após negar que a Covid-19 era um problema de saúde no mundo inteiro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aceitou que a situação real era de uma pandemia. E isso aconteceu após um mês de caos em Wuhan, na China, e um fevereiro aterrorizador nos países europeus, que começaram a ver o número de internados e mortos crescer em progressão geométrica. Bom, o Brasil ainda se permitiu viver um período de carnaval e, logo em seguida, as UTIs colapsaram.

Com o ritmo de desaceleração do vírus nesta fase da pandemia, o mundo pode entrar no que se chama de endemia, quando uma doença é comum em certas regiões, tem um certo número de mortes que já é esperado e apresenta alguns períodos de surto. Ou seja, o vírus (ou a doença) apresenta comportamentos previsíveis e as autoridades de saúde sabem como diminuir os impactos dele entre a população – como uma gripe sazonal.

A OMS, por exemplo, já acredita que o avanço do maior número possível de vacinados e a baixa incidência da doença podem apresentar o fim da pandemia e a entrada do período de endemia. Foi o que destacou em janeiro, no Fórum Econômico Mundial, o diretor do Programa de Emergências em Saúde da OMS, Mike Ryan.

Até lá, a Ômicron terá de perder força e as taxas de transmissão precisam diminuir ainda mais. Se nenhuma nova variante surgir e agir na contramão das autoridades sanitárias, o mundo poderá, enfim, respirar sem medo de se contaminar.






Tópicos

adenovírus alfa análise genética anticorpos Átila Átila Iamarino BA.1 BA.2 BA.3 beta Bocavírus BOLETIM INFOGRIPE Brasil campanha vacinação célula hospedeira célula humana Cepa cepas anteriores cnpj fapesp Como conseguir uma bolsa na FAPESP? Como funciona a Bolsa FAPESP? comorbidade consulta pública consulta pública da vacina covid converse fapesp coordenador do estudo coronavírus coronavírus exército covid covid sintomas Covid-19 covid-19 2022 covid-19 brasil Covid-19 exército diferenças sintomas covid e influenza Dinamarca eficácia de vacinas epidemia de gripe epidemia de gripe brasil Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo esquema vacinal incompleto evolução molecular Exército brasileiro exército do Brasil fapesp agilis fapesp bolsa fapesp iniciação científica fapesp revista fim das restrições covid fim dos protocolos sanitários Fiocruz Florianópolis flurona flurona casos confirmados flurona no Brasil flurona o que é flurona o que é? gama general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira genoma gripe gripe comum gripe em sao paulo gripe em sao paulo 2021 gripe espanhola gripe espanhola em são paulo gripe española gripe h1n1 gripe h3n2 gripe h3n2 o que tomar gripe h3n2 sintomas gripe influenza h3n2 gripe no brasil gripe nova gripe sintomas H1N1 H3N2 H3N3 importancia da vacinação influenza influenza crianças influenza rio influenza sintomas KN95 máscara eficiência máscara gripe máscara influenza máscara preço máscara protege da gripe? medidas sanitárias mutações mutações existentes na Ômicron n95 nível molecular nova cepa nova variante Novas gerações novo coronavírus O que é o Fapesp? O que quer dizer em despacho FAPESP? óbito omicrom ômicrom 4ª dose ômicrom 5 sintomas que você pode ter tido ômicrom brasil ômicrom como identificar ômicrom covid longa Ômicrom nova sequela ômicrom sequelas ômicrom sinais iniciais omicron ômicron 4ª dose ômicron 5 sintomas que você pode ter tido omicron brasil ômicron como identificar ômicron covid longa Ômicron crianças ômicron dor de garganta Ômicron nova sequela omicron sequelas omicron sintomas ômicron sintomas mais comuns ômicron vacinas eficácia pandemia Parainfluenza 3 e 4 pesquisa pesquisador da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo pesquisadores pessoas que não tomaram a vacina PFF2 pipe fapesp Posso não apresentar sintomas da COVID-19 posso tomar da covid e influenza? processo infeccioso programas de bioinformática programas de biologia computacional proteína spike quais estados têm surto de gripe? quais os sintomas da omicron a nova variante Quais são os principais cuidados para evitar a contaminação familiar de COVID-19? Quais vacinas para COVID-19 estão sendo aplicadas nas crianças? Qual a importância do investimento em pesquisas científicas? qual a melhor máscara? Qual a vacina de reforço para quem tomou a vacina contra Covid-19 CoronaVac? Qual é o aplicativo da carteira de vacinação da COVID-19? qual máscara usar no transporte público? qual o intervalo da vacina coronavac qual o pico de transmissão da ômicron? alcool gel Qual o tempo de incubação da COVID-19? qual os sintomas da omicron Quanto é a bolsa FAPESP? Quanto tempo a COVID-19 permanece ativo em diferentes superfícies? Quantos dias após ter COVID-19 pode tomar a vacina? quantos dias duram os sintomas da omicron Quantos dias é o isolamento pela COVID-19? que máscara usar? quem pode tomar a vacina da gripe Quem tomou a vacina Janssen contra a COVID-19 pode tomar outra vacina? Quem tomou a vacina Janssen contra a COVID-19 precisa tomar reforço? resfriado Ricardo Durães-Carvalho sage fapesp Santa Catarina sintomas influenza sintomas ômicron sintomas.covid spike subvariante subvariante da ômicron é mais transmissível subvariante o que é? subvariante Ômicron subvariante ômicron atinge os pulmões? Subvariante ômicron pulmão Surto de Covid-19 taxa de transmissão Ômicrom Brasil taxa de transmissão Ômicron Brasil uso de máscara ao ar livre uso de mascara até quando uso de mascara atividade fisica uso de mascara atividade fisica faz mal? uso de mascara durante atividade fisica uso de mascara durante atividade fisica oms uso de mascara em sp uso de máscara em sp até quando uso de máscara na cidade de são paulo uso de máscara no brasil uso de máscara no rio de janeiro uso de máscara nos estados unidos uso de mascara obrigátorio vacina brasileira covid-19 vacina covid 19 vacinação vacinas variante variante do novo coronavírus variantes