Capa

A Monte Carlo brasileira de Lamborghini

Herdeiro de uma das mais tradicionais marcas do mundo, Tonino Lamborghini lança empreendimento de luxo em Balneário Camboriú e acelera seus planos para o mercado brasileiro.

Crédito: Divulgação

Tonino Lamborghini Residences: Lançado pela Embraed em Balneário Camboriú, o empreendimento terá apartamentos de até R$ 15 milhões e receberá investimento de R$ 150 milhões. (Crédito: Divulgação)


Divulgação

Mio istinto creativo è completamente libero e senza limiti.” A definição do magnata italiano Tonino Lamborghini para seu estilo no mundo do design poderia expressar também a sua ambição “sem limites” para os negócios. Aos 73 anos, o filho de Ferruccio Lamborghini (1916-1993), fundador da icônica marca de automóveis, é tido com uma lenda vida do mundo do luxo. Como chairman da companhia que leva seu nome, com faturamento global de US$ 350 milhões e fortuna estimada em € 3 bilhões, Tonino construiu nas últimas quatro décadas um império de produtos licenciados, a partir de seu ateliê no Palazzo del Vignola, nos arredores de Bolonha, na Itália.

O portfólio do grupo inclui de bebidas energéticas, vinhos, relógios e perfumes a smartphones, bicicletas e cafeterias. “Desde o início, a Lamborghini é uma grife diversificada. Vamos continuar expandindo, dando espaço para a criatividade e inovação”, afirmou Tonino, em entrevista à DINHEIRO. A diversificação da Lamborghini chegou ao mercado brasileiro – e por meio do segmento imobiliário. A marca estreou no País com o lançamento de um edifício residencial de luxo, na cidade catarinense de Balneário Camboriú neste mês.

DUAS RODAS: As scooters elétricas da marca, à venda na Coreia do Sul e na China, têm os traços característicos da Lamborghini. (Crédito:Divulgação)

Em parceria com a incorporadora de alto padrão Embraed, Tonino Lamborghini quer estampar seu nome no País e abrir caminho para o licenciamento da marca em outras frentes de negócios. “Quero introduzir uma proposta de design moderno e inovador. Uma obra que se torne monumento”, disse o empresário. “Decidi investir no Brasil porque o País está crescendo bastante. Escolhi começar por Balneário Camboriu porque enxergo a cidade como uma Monte Carlo brasileira.”

CAFÉ LAMBORGHINI: A rede de cafeterias lançada no Oriente Médio preserva o estilo da grife e vende bebidas com a marca da empresa. (Crédito:Divulgação)

Para perpetuar sua grife no setor imobiliário e transformar o empreendimento de Santa Catarina em um cartão de visitas para outros investimentos no Brasil, Tonino não economizou nos detalhes. Projetado em parceria com o escritório curitibano Baggio Schiavon Arquitetura, o edifício foi desenhado com linhas contemporâneas e visual aerodinâmico que remete aos traços dos carros da marca, como o gradeado da fachada. A decoração também teve a assinatura de Tonino. Os revestimentos em couro e metais, além dos mobiliários dos ambientes comuns e de lazer, serão trazidos da Itália. Com 67 apartamentos e 53 pavimentos, a torre de 170 metros de altura terá imóveis de R$ 4 milhões a R$ 15 milhões. Os apartamentos vão de 194,2 m² a 429,6 m².

Três dos 53 pavimentos do edifício serão destinados às áreas de lazer, que incluem até quadra de futebol society com grama sintética preta. Serão quatro vagas de garagem por apartamento, sendo uma delas com ponto para recarga de carros elétricos. O acesso à garagem se dará por um percurso com projeto luminotécnico automatizado, no qual as luzes se acendem conforme o carro avança pela rampa, um detalhe que também remete à herança automotiva da marca italiana.

VENDAS O nome Lamborghini, ao que tudo indica, terá sucesso na indústria da construção. Segundo a presidente da Embraed, Tatiana Cequinel, 50% das unidades do edifício foram vendidas em dois meses, antes mesmo do seu lançamento oficial. O investimento na construção será de R$ 150 milhões. “Nos últimos anos, a demanda por imóveis em Balneário Camboriu disparou, mas nunca tínhamos visto uma procura tão intensa como a que tivemos no Tonino Lamborghini Residences”, garantiu a empresária, que calcula chegar a R$ 2,5 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV) com seus lançamentos nos próximos cinco anos. Os planos da Embraed e de Lamborghini vão muito além de Balneário Camboriu. Segundo Tatiana, a Embraed já planeja lançamentos para Itapema (SC) e Maringá (PR) ainda neste ano. Com a marca Lamborghini, a estratégia é lançar empreendimentos também em Curitiba e São Paulo, dentro dos próximos cinco anos.

CARRO ELÉTRICO Além do mercado imobiliário, Tonino aposta na popularização da sua marca de mini-carros elétricos para construir um novo conceito na indústria automobilística. O veículo subcompacto de fibra de carbono já está em produção na Índia, de onde é distribuído para o mercado asiático. No Brasil, o magnata negocia a construção de uma possível linha de montagem, mas tem enfrentado dificuldades em encontrar parceiros e fornecedores locais. “O segmento de carros elétricos será um dos maiores desafios da Lamborghini no País, visto que o projeto inicial do veículo pode enfrentar barreiras legais de segurança”, disse o consultor Claudio Lopes, especialista em indústria automobilística. A estratégia no setor automotivo, no entanto, tem sido capitaneada por Ferruccio Lamborghini, homônimo do criador da Lambo e filho de Tonino. É ele quem gerencia os negócios do pai.

Desde o ano de 1973, a divisão de carros de luxo da marca Lamborghini está fora do controle da família. Em crise, o fundador Ferruccio vendeu a companhia a investidores suíços. Desde então, a marca passou por diversos donos e chegou a pertencer à Chrysler, entre 1987 e 1994. Já nos anos 2000, passou a fazer parte do grupo Volkswagen. No fim dos anos 1980, a Lamborghini chegou a fornecer motores V12 a vários times de Fórmula-1, como Larrousse, Lotus e Ligier. Em 1993, Ayrton Senna testou o Lambo V12, num McLaren MP4-8 todo branco, em Estoril, em Portugal, e recomendou o uso do motor a Ron Dennis. Questões financeiras, no entanto, impediram a conclusão desse acordo.

DESIGN IMOBILIÁRIO: O edifício foi desenhado com linhas e visual aerodinâmico, que remetem aos traços dos carros da marca. (Crédito:Divulgação)

Além da paixão da família pelas quatro rodas, Tonino pretende marcar presença no setor de duas rodas. A scooter Iso Motor Lamborghini já está sendo produzida e comercializada na Coreia do Sul e na China. Esse primeiro modelo atinge velocidade máxima de 80 quilômetros por hora e é capaz de rodar 65 quilômetros com uma única carga. O modelo híbrido, com gasolina, pode ter autonomia para percorrer uma distância de até 150 quilômetros. Com preços entre US$ 2 mil e US$ 4 mil, a Iso Motor pode ser recarregada em tomadas de 220 volts e leva até quatro horas para atingir carga total. “Creio que o mercado da América do Sul, em particular o Brasil, possa ser chave para nós”, disse Ferruccio Lamborghini. Entre as apostas de Tonino está a produção de smartphones. O Lamborghini Alpha One, lançado em agosto de 2017, tem revestimento de couro e utiliza sistema operacional Android. Outro pilar da estratégia é a linha de scooters elétricos, já em operação na Ásia, com produção na Coreia do Sul.

No mercado brasileiro, o sobrenome Lamborghini não é lembrado apenas pelos carros de luxo que levam o logotipo do touro prateado no escudo vermelho. A filha de Tonino, Elettra Miura Lamborghini, participou do Big Brother Brasil em 2017. Apaixonada por tatuagens e hipismo, ela tem desenhos de pegadas de cavalo e de pintas de onça pelo corpo, além de 15 piercings de diamantes. Elettra se recusa a participar do dia a dia dos negócios da família e se dedica à televisão e redes sociais – onde costuma chamar a atenção, assim como fazem por onde passam os carros da marca. Na Espanha, ela ficou conhecida ao entrar no picante programa Super Shore, da MTV, que acompanha as férias de verão de nove participantes. A herdeira, que hoje também faz sucesso como cantora, ficou conhecida como “a matadora da Itália”, por sua personalidade pavio curto. Em seu país, Elettra também se tornou uma celebridade – por sua beleza e por suas polêmicas. A imprensa italiana a chama de “a obra-prima de Tonino”. Como tudo o que envolve o nome Lamborghini, nada passa incólume.

Do campo para o luxo Criada em 1963 por Ferruccio Lamborghini, a empresa começou com a fabricação de tratores. (Crédito:Divulgação)

 

Entrevista
“O luxo não é preço, é conceito”

Tonino Lamborghini (Crédito:Divulgação)

Porque o senhor decidiu investir no Brasil só agora?
Nos últimos anos, tenho levado minha marca para economias emergentes. Investimos em Dubai, na China, na Arábia Saudita, no Bahrein. Decidi investir no Brasil porque o País está crescendo fortíssimo. Escolhi começar por Balneário Camboriú porque a enxergo como uma Monte Carlo brasileira. A cidade está evoluindo muito e se fortalecendo com um reduto de luxo, com o lançamento de empreendimentos imobiliários de muita qualidade.

Mas a grande maioria dos lançamentos no Brasil não tem o design como apelo…
Realmente, o mercado imobiliário aqui é muito preso ao estilo greco-romano de arquitetura, com fachadas neoclássicas. Minha proposta é totalmente diversa. Não é mais bonita, é diferente. Quero introduzir uma proposta de design moderno e inovador. Uma obra que se torne monumento, e que não seja demolida daqui algumas décadas.

Diversificar a atuação a Lamborghini não pode comprometer o DNA de luxo e exclusividade da marca?
De forma alguma. Desde o início, a Lamborghini é uma grife diversificada. Vamos continuar diversificando, dando espaço para a criatividade e inovação. O primeiro produto com o meu sobrenome foram tratores. Depois meu pai começou a produzir aquecedores e aparelhos de ar-condicionado, quando ainda não existiam esses equipamentos na Itália. Fabricamos até helicóptero, mas não tivemos licença do governo italiano porque, naquela época, a elite política não queria concorrência para a fabricante Agusta.

Uma filha no big brother brasil: Elettra ficou famosa por sua participação
em programas
de reality shows
e hoje se dedica
à música. (Crédito:Divulgação)

Quais são os critérios para o lançamento de produtos hoje?
Atualmente, 85% de todos os produtos que levam a marca Lamborghini são desenhados, projetados e concebidos por mim. Quando não desenho, avalio, modifico e aprimoro cada produto. Minha criatividade e meu conceito de design são diferentes, assim como uma Ferrari é diferente de uma Lamborghini. Transmito um espírito emocional da marca.

O mercado imobiliário se tornou prioridade para os seus investimentos?
Há muitos anos invisto no setor imobiliário. Estou sempre em busca de oportunidades, onde houver disponibilidade. Comecei a investir na China quando ainda não havia nenhum italiano no país.

O prédio em Santa Catarina será laboratório para outros investimentos?
Este é o primeiro investimento, mas é apenas o primeiro de vários. O plano é expandir para outras regiões. Como a primeira experiência com a construtora Embraed está dando muito bem, queremos lançar em outros mercados, como São Paulo. Já estamos com a marca Lamborghini nas principais capitais com produtos da nossa linha de alimentos e bebidas, como energéticos,

E o projeto de lançar carro elétrico?
Estou negociando parcerias para lançar e produzir no Brasil nosso veículo elétrico, mas ainda não concluímos. Há dinheiro, há tecnologia, mas ainda falta estrutura produtiva capaz de suprir a demanda de uma montadora de carro 100% elétrico. Existe no Brasil uma grande cadeia de fornecedores para Volkswagen, para a Fiat, que são marcas globais. No entanto, para projetos menores, como foco em mobilidade urbana com zero poluição, ainda falta estrutura. Não queremos ser uma Tesla. A proposta é outra. Na Índia, por exemplo, já produzo esse pequeno carro.

 

Filho no comando: Ferruccio Lamborghini, CEO da companhia, é a terceira geração à frente dos negócios. (Crédito:Divulgação)

Um mini-carro elétrico não vai desconfigurar a proposta da Lamborghini?
Luxo não é preço, é conceito. Para ser refinado e sofisticado, não necessariamente precisar ser caro. Não poluir é luxo. A elegância está no estilo e na proposta. Quem achar que luxo está em uma pulseira de ouro, está ultrapassado. Luxo não está na ostentação, está no interior de cada um. O conceito de superioridade está em como você vive, não naquilo que mostra ter.

Quais são as principais mudanças de conceito de luxo hoje?
Quando estive no Brasil pela primeira vez, 18 anos atrás, percebi um consumidor com o luxo refinado e com visão apurada para os detalhes, para a estética. Me lembro que vi alguns apartamentos no Rio de Janeiro, com arquitetura mais moderna do que as que existiam na Itália, na França e na Inglaterra.

O ambiente econômico Brasil, com tanta turbulência, encoraja investir?
Sim. Na Itália não é diferente, em termos de turbulência. Em todo o mundo, dinheiro parado em aplicações não rende mais nada. O que acontece com a taxa de juros no Brasil é uma realidade bem conhecida lá. Quem tem dinheiro para investir, o momento é agora. E quem for investir em imóveis, invista no que é bonito. O que é belo sobrevive à história, tem futuro. O medíocre e o bruto não têm futuro. Depois de 50 anos, é demolido. Ninguém derruba um palácio. Um patrimônio arquitetônico ganha valor quanto mais o tempo passa.