Edição nº 1100 14.12 Ver ediçõs anteriores

A metamorfose de uma caneta

A metamorfose de uma caneta

A alemã Montblanc está revisitando um ícone criado há quase 100 anos. A companhia vai lançar uma edição limitada de uma caneta que pode ser utilizada como bracelete, pin de gravata ou broche. A joia, em formato de aranha, é inspirada no clássico poema da mitologia greco-romano de Arachne, contada por Ovídio em suas Metamorfoses. A coleção “Montblanc High Artistry Heritage Metamorphosis”, que comemora a criatividade, a poesia e o ofício de transformar uma matéria-prima em obra de arte, será lançada em três versões únicas: ouro branco, ouro rosé e ouro champagne, todas cravejadas com diamantes. Para adquiri-las, é preciso desembolsar € 1,5 milhão. Haverá, também, edições limitadas, com menos adornos, de cinco, dez e 88 peças, com preços que variam entre € 34 mil e € 520 mil. O lançamento está previsto para abril.

(Nota publicada na Edição 1060 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Uma aventura luxuosa na África

Conhecer as maiores atrações do continente africano em altíssimo estilo. Essa é a proposta da Latitudes Viagens de Conhecimento, [...]

Com salário de US$ 6,4 milhões, CEO da Uber vende casa em Seattle

Desde que deixou Seattle, Washington, para viver em São Francisco, na Califórnia, Dara Khosrowhahi, CEO da Uber, tinha um dilema: [...]

Aposte com estilo

A grife francesa Hermès trocou suas sedas pelo feltro de lã. Pelo menos no jogo de dados. O Declick Dice Game, que a empresa acaba de [...]

Ferrari no pulso

O melhor presente de Natal para um “ferrarista” é um carro da marca. Se isso está fora de cogitação, a suíça Hublot tem uma [...]

Caviar como enfeite de pulso

As ovas do esturjão deixaram de ser apenas um tipo caríssimo de iguaria gastronômica. Elas agora batizam uma grife russa especializada [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.