Estilo

A grife brasileira das Arábias

O arquiteto e designer paulista Vincenzo Visciglia está transformando o cenário fashion no Oriente Médio com a AAVVA, marca de roupas ousadas e luxuosas cujas peças chegam a 100 mil euros

Crédito: Claudio Gatti

Sem burca nem xador: nascido em Tatuí, no interior de São Paulo, Vincenzo Visiglia projetou o palácio da família real saudita (Crédito: Claudio Gatti)

A grife líbano-brasileira AAVVA ainda é desconhecida aqui, mas já é um sucesso no Oriente Médio. A marca nasceu em 2014 numa parceria entre o engenheiro civil libanês Ahmad Ammar e o arquiteto paulista Vincenzo Visciglia.

Visciglia nasceu em Tatuí, interior de São Paulo, mas mudou cedo para Miami, onde cursou arquitetura e design. Há dez anos ele se radicou nos Emirados Árabes e ganhou destaque projetando mansões para elite do Oriente Médio. Entre suas obras, está o palácio da família real saudita. “Neste momento, trabalho em dois novos edifícios na fazenda da família real”, revela. “Lá as coisas funcionam muito no boca-a-boca.”

O brasileiro ganhou ainda mais notoriedade ao assinar o projeto arquitetônico e de branding da rede de cafés PappaRoti, com mais de 400 lojas na Ásia, Oriente Médio, Europa e Oceania. Embora a arquitetura ainda seja sua principal fonte de renda, ele atua cada vez mais no mundo da moda, um “business que veio para ficar”, diz ele.

Oriente e ocidente: coleções La Vie en Rose e Frida (centro) fizeram a marca ganhar reconhecimento na Europa e destaque na Vogue Itália (Crédito:Divulgação)

A grife AAVVA está baseada em Dubai e tem hoje 60 funcionários, que finalizam as peças manualmente. “Nossa intenção é trabalhar a marca para que, no futuro, ela seja incorporada a um grande conglomerado”, diz. As peças levam cristais swarovski, ouro e outras pedras preciosas e podem custar até 100 mil euros. Mas apesar do preço proibitivo, ou justamente por causa dele, os vestidos da marca são usados por princesas, rainhas e celebridades do Oriente Médio. Entre elas, as populares irmãs Abdel Aziz, consideradas as Kardashians do mundo árabe e estrelas do reality show “The Sisters”, gravado nos Emirados Árabes.

PARCERIAS O próximo passo de Vincenzo é ampliar sua parceria com o Brasil. Atualmente, ele desenvolve uma coleção de joias com a designer brasileira Andrea Conti. Ela é conhecida por suas peças com esmeraldas colombianas e foi a responsável pelo anel de noivado de R$ 500 mil da atriz Marina Ruy Barbosa. As joias criadas pelos dois estarão à venda na primeira loja própria da AAVVA, inaugurada há menos de um mês no City Walk, shopping a céu aberto em Dubai, que abriga as principais grifes de luxo do mundo. “Quero trazer elementos do Brasil para a AAVVA”, diz ele.

À esq., a primeira loja em Dubai. À dir., Farah Abdel Aziz, considerada uma kardashian do Oriente Médio vestindo AAVVA. (Crédito:Divulgação)

Além da loja em Dubai, Vincenzo Visciglia tem planos de inaugurar mais três lojas nos Emirados Árabes e ampliar sua presença mundial. Atualmente, os produtos da marca podem ser encontrados nas lojas de departamento da França (Galeria Lafayette e a Le BHV Marais, em Paris), Singapura (Robinsons) e Londres (House of Fraiser). No segundo semestre desse ano, a AAVVA abre um espaço próprio no Soho, em Manhattan. Uma das coleções mais famosas de Visciglia, lançada em 2018, é uma homenagem à pintora mexicana Frida Kahlo. Foi a primeira vez que um estilista local usou como referência uma figura símbolo do empoderamento feminino e a ousadia causou furor no mundo da moda. A coleção chegou a ganhar destaque na prestigiosa Vogue Itália, uma das “bíblias” do mundo fashion. “Levamos uma mensagem sutil de empoderamento e elas gostaram muito”, afirma Vincenzo.

HIJAB Trabalhar com moda em um país onde predomina o hijab não é tarefa das mais fáceis, mas o trabalho pioneiro do brasileiro tem atraído atenção. Ele já foi eleito duas vezes uma das personalidades mais influentes dos Emirados Árabes por uma das publicações feministas mais prestigiadas da região, a “Ahlan!”. “Dubai é um país muito novo, só tem 47 anos. Muita coisa ainda está se desenvolvendo por lá. O cenário fashion é um deles”.

Os planos futuros de Vincenzo também contemplam o Brasil. “Estamos conversando com dois parceiros que podem nos representar aqui”, diz ele. “A ideia é fazermos uma coleção teste para entender o quanto a mulher brasileira está disposta a gastar.”