Negócios

A geração Z está salvando os shoppings centers dos millenials e da geração X

Em um período de três meses, 95% dos entrevistados da geração Z visitaram ao menos uma vez um shopping, ante 75% dos millenials e 58% dos geração X

Crédito: Divulgação

Os últimos anos do varejo vem sendo apelidados de apocalipse. O crescimento do e-commerce vem trazendo diversas mudanças nos hábitos de consumo ao redor do planeta, com uma tendência cada vez maior de lojas físicas perderem a relevância. Mas há um grupo de pessoas que parecem não ligar muito para o novo, e gostam mesmo é de caminhar, se mover e ter o produto em mãos na hora de escolher.

A geração Z é considerada a de pessoas nascidas entre 1994 e 2010, nascida já nativa na internet e anterior aos tão alardeados millenials. Enquanto o segundo grupo é considerado o responsável pelo chamado “apocalipse do varejo físico”, o primeiro pode significar sua salvação.

Para tentar entender como sobreviver neste novo paradigma, o International Council of Shopping Centers fez um levantamento dos hábitos de consumos em cada geração, e descobriu que a geração Z, mesmo já tendo “nascido” na internet, é aquela que mais faz questão de comprar em shoppings ou lojas físicas. Em um período de três meses, 95% das pessoas destas geração visitaram ao menos um centro comercial ante 75% dos millenials e 58% dos geração X (nascidos entre 1961 e 1981).

O estudo revelou que os principais motivos deste grupo ainda ir a shoppings está em questões como sociabilidade – ir ao cinema, comer com amigos -, poder ver o produto ao vivo – e eventualmente testar ou prová-los – e conseguir sair de lá com a compra em mãos, mostrando uma tendência a valorização da agilidade de obter um produto. Justamente por conta do imediatismo, os geração Z tem preferência por lojas de departamento, onde conseguem em um único lugar, comprar grande parte de suas necessidades. A exceção está na compra de eletrônicos, que ainda é predominantemente online.