Estilo

A era da criptoarte

Ligada a moedas digitais, Binance anuncia campanha 100 Creators para incentivar o mercado de peças NFT.

Crédito: Divulgação

MARKETPLACE GLOBAL A artista brasileira Paula Klien e suas obras em nanquim. Primeira coleção para uma plataforma foi arrematada em só um lance. (Crédito: Divulgação)

Colecionar arte contemporânea é para poucos. Ou melhor: era. Esse mercado começou a se expandir em alta velocidade desde que a tecnologia criou uma nova maneira de adquirir peças exclusivas. Baseadas em blockchain, o mesmo conceito que fundamenta criptomoedas como o bitcoin, as NFTs abriram as portas para um novo tipo de investidor. Não são propriamente colecionadores e sim pessoas interessadas em movimentar recursos cujo valor flutua. Com as NFTs, pode-se ganhar ou perder, assim como em qualquer criptoativo. A partir do próximo dia 24, o modelo ganhará o reforço da campanha 100 Creators, iniciativa da provedora de infraestrutura de criptomoedas Binance para incentivar essas transações.

NFT é a sigla em inglês para “tokens não-fungíveis” e refere-se a um formato de arquivo que permite transferir digitalmente dados e valores de bens únicos, como obras de arte. Cada peça NFT possui uma assinatura digital que garante sua autenticidade em um banco de dados criptografado e inviolável, o blockchain.

Divulgação

“Cada usuário poderá ser um criador e incluir seus NFTs na plataforma para venda ou leilão ” Mayra Siqueira gerente geral da Binance no Brasil.

Convidada pela Binance para ser um dos 100 criadores da campanha de lançamento do novo marketplace, a artista brasileira Paula Klien já tem experiência em expor e comercializar suas obras NFT. Em sua primeira mostra, os lances vieram rapidamente. “Em 12 horas, um colecionador fez uma oferta para comprar toda a coleção”, disse Paula. Para ela, expor em uma plataforma desse tipo possibilita uma visibildade global às obras. Outra vantagem, segundo ela, é poder trabalhar em projetos colaborativos, como fez ao chamar outros artistas para dar movimento e sonorizar suas telas estáticas. “Isso está unindo os criadores. Antes, havia poucos espaços para expor e eles eram disputadíssimos. Agora, um ajuda o outro.”

TRADE MARKET Gerente geral da Binance no Brasil, Mayra Siqueira afirmou que o NFT Marketplace terá duas partes principais: evento premium e trade market. No premium, a Binance cobrará 10% do preço de venda. “No trade market, cada usuário poderá ser um criador e incluir seus NFTs na plataforma para venda ou leilão”, disse. Segundo ela, será cobrado 1% como taxa de processamento — e os criadores receberão continuamente 1% de royalties. Se colecionar arte deixou de ser para poucos, criar e vender está agora ao alcance de todos.