Giro

A duração do sono é importante para a saúde do coração, diz nova recomendação

Crédito: Reprodução/Pixabay

Além do sono, a nova lista manteve: dieta, atividade física, exposição à nicotina, massa corporal, lipídios no sangue, glicemia e pressão arterial. (Crédito: Reprodução/Pixabay)



Se você precisava de outro motivo para dormir o suficiente, aqui está: pode ajudar a saúde do seu coração. A American Heart Association adicionou a duração do sono à sua lista de verificação de saúde cardiovascular. Faz parte do “Life’s Essential 8”, um questionário que mede oito áreas-chave para determinar a saúde cardiovascular de uma pessoa.

A lista atualizada foi publicada nesta quarta-feira no Circulation, jornal revisado por pares da AHA , e substituiu o questionário “Life’s Simple 7” da associação, que era usado desde 2010.

+ Distúrbios do sono atingem a maioria dos brasileiros e mulheres são as mais afetadas

Além do sono, a nova lista manteve as categorias originais: dieta, atividade física, exposição à nicotina, índice de massa corporal, lipídios no sangue, glicemia e pressão arterial.




A duração do sono entrou na lista depois que os pesquisadores examinaram novas descobertas científicas na última década que descobriram que o sono desempenhava um papel importante na saúde do coração, de acordo com o Dr. Eduardo Sanchez, diretor médico da AHA para prevenção.

“As pessoas que não dormem o suficiente têm maior probabilidade de coisas como obesidade, hipertensão e diabetes”, disse Sanchez.

O que conta como sono saudável?


Os adultos devem dormir de sete a nove horas por noite, disse o especialista em cuidados intensivos pulmonares e sono Dr. Raj Dasgupta, professor clínico associado da Keck School of Medicine da Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles.

No entanto, as pessoas precisam ter um sono de qualidade para colher os benefícios, disse Dasgupta, que também é porta-voz da Academia Americana de Medicina do Sono.

Uma pessoa passa por vários ciclos de sono compostos de sono não REM e REM (movimento rápido dos olhos), disse Dasgupta. Existem três estágios de sono não REM, e no terceiro você entra em sono profundo, que restaura o corpo tanto mental quanto fisicamente, explicou.

Se você continuar acordando, isso impedirá que você vá para esses estágios mais profundos, disse Dasgupta. Isso pode levar ao aumento da pressão arterial e aumento dos níveis de açúcar no sangue, o que está associado ao diabetes e à obesidade, disse ele. Essas condições contribuem para diminuir a saúde do coração e aumentam o risco de desenvolver insuficiência cardíaca, disse Dasgupta.