Investidores

A contribuição do mercado

Expansão da indústria de fundos contribuirá com alta de 1,36% ao PIB até 2023

Crédito: Divulgação

Carlos Ambrósio, da Anbima mudanças regulatórias e novos produtos mais baratos (Crédito: Divulgação)

O crescimento da indústria de fundos de investimento vai caminhar de mãos dadas com a expansão da própria economia brasileira nos próximos anos. É a avaliação da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que representa os gestores de recursos. Segundo a Associação, se o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 ficar ao redor do 1,5% previsto e se a reforma da Previdência for aprovada, os recursos sob administração vão crescer 6,1% por ano até 2023.

Esse crescimento do mercado, por sua vez, deve dar uma contribuição de anual de 0,27% no PIB, totalizando 1,36% nos próximos cinco anos “O aumento da base de ativos do nosso mercado depende de uma combinação de fatores, que envolve o crescimento econômico e ações decisivas dos gestores de recursos, de seus representantes e do governo”, diz Carlos Ambrósio, presidente da Anbima. A associação pleiteia mudanças na regulação dos fundos de direitos creditórios (FIDC) e dos fundos imobiliários, e a elaboração de novos produtos mais baratos aos investidores