Estilo

Live da Dinheiro: “A casa venceu”, diz diretor-geral do D&D, Angelo Derenze. Assista aqui

Crédito: Divulgação

Derenze: “O ano de 2020 não será perdido. O mundo digital e o delivery em nosso segmento chegaram para ficar. A roda começou a rodar. A casa venceu!” (Crédito: Divulgação)

O publicitário e empresário Angelo Derenze é um dos mais respeitados nomes no setor de móveis de luxo do País. Ele está à frente do D&D Shopping, referência de decoração e design. Na tarde da quinta-feira, 18, o executivo foi o entrevistado da live da DINHEIRO. Na conversa com a jornalista Jaqueline Mendes, Derenze fez uma análise do setor, falou sobre as mudanças comportamentais das pessoas durante a quarentena e fez algumas projeções do futuro pós-pandemia. “O confinamento obrigou as pessoas a olharem para dentro de casa”, avalia.

O shopping D&D, na Zona Sul de São Paulo, pode ser considerado um templo da decoração. O espaço de 17 mil metros quadrados concentra as mais refinadas lojas especializadas em design. Com 78 lojas, o espaço faz parte do complexo WTC, de 185 mil m², que abriga empreendimentos como o hotel Sheraton e uma torre de escritórios. O executivo revelou na live que sentiu medo e desolação ao ver todo o complexo parado da noite para o dia, quando a cidade entrou em quarentena. “É como se fosse uma guerra e que o inimigo invadisse seu país”, lembra. Derenze revelou que ficou sentado, perdido, observando aquela imensidão no escuro, e só uma pizzaria delivery funcionando. “O que fazer?”, pensou. “Deu um estalo. Por que não criarmos a D&D delivery?”

A iniciativa deu tão certo que o empresário hoje avalia que esse caminho veio para ficar. Apesar do cenário trágico para diversos setores, Derenze tem o que comemorar. Diante da perspectiva de zero de venda, a empresa vendeu 35% em abril e 50% em maio em relação ao ano passado. “O ano de 2020 não será perdido. Será duro, mas não perdido.” Para o empresário, “o mundo digital e o delivery em nosso segmento chegaram para ficar”. “A roda começou a rodar”, diz aliviado. “A casa venceu!”

Há 32 anos no mercado, Angelo Derenze avalia que o futuro pós pandemia levará a mudanças importantes nas moradias. Para ele, atualmente, a lavanderia tornou-se a entrada principal da casa e a varanda se consolidou. As casas, diz, não estavam preparadas para uma vida em confinamento, para o home office. “Abriu-se o mundo da decoração”, disse.

D&D é a parada obrigatória entre arquitetos, fabricantes, lojistas e decoradores da capital paulista e do Brasil. Nos últimos 80 dias, no entanto, o D&D ficou de portas fechadas, em decorrência do combate à pandemia da Covid-19. Mas o shopping não ficou parado. E iniciou seu plano de reabertura gradual, no dia 11 de junho. Seguindo o plano de flexibilização da quarentena desenhado pelas autoridades, o funcionamento do D&D Shopping irá atender e respeitar todas as orientações, tendo como prioridade a saúde e segurança dos lojistas, clientes e parceiros. “Nosso objetivo é atender a demanda das pessoas em melhorarem suas casas, zelando pela saúde de nossos parceiros e clientes, para que o isolamento social seja cumprido cada vez mais”, afirma.

Além de diretor-geral do D&D, Derenze já atuou como publisher e foi presidente do Grupo Casacor, mais completa mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas. Ele foi fundamental para consolidar a marca como a principal referência em design e decoração na América Latina. Para o executivo, o segredo dos shoppings temáticos de decoração é que arquitetos e decoradores podem resolver toda casa num único destino. “As pessoas querem praticidade e conforto.”

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel