A Bíblia do azeite

A Bíblia do azeite

Os azeites produzidos no Brasil conquistam cada vez mais respeito dentro e fora do País. Já são mais de 70 marcas de extravirgem brasileiros, alguns premiados internacionalmente. Em 2019, foram importadas 86 mil toneladas — o que representou uma alta de 12,4% em relação a 2018 e fez do Brasil o segundo maior importador, atrás apenas dos Estados Unidos. Com isso, cresce também o interesse das pessoas em relação ao produto, suas características, propriedades e benefícios. Para esse pessoal, acaba de ser lançada uma espécie de Bíblia do azeite. Elaborado pelo escritor e especialista em azeites Sandro Marques, o livro Extra Fresco: o guia de azeites do Brasil tem capa dura e 192 páginas bem ilustradas e repletas de informação (R$ 98,70, Editora Livrobits). “O guia se propõe a explicar, de forma clara e criativa, desde o cultivo até as técnicas culinárias. E tudo com ilustrações e infográficos”, disse Marques.

Considerado um dos maiores conhecedores do assunto no Brasil, ele já degustou mais de 1 mil tipos de azeite, de todas as partes do mundo, é membro da Organizzazione Nazionale Assaggiatori Olio D’Oliva, na Itália, e foi o primeiro brasileiro a ser jurado do painel do New York International Olive Oil Competition, um dos concursos mais importantes do setor no mundo. Com toda essa experiência, ele degustou quase 100 amostras de azeite produzidos no Brasil para escrever o livro, que pode ser comprado no site www.extrafresco.com.br. Para quem gosta de cozinhar, há um capítulo totalmente dedicado a receitas, todas com dicas de harmonização com o azeite certo e a história de cada produtor. Uma bela obra para se ter em casa. De preferência, perto da cozinha.

Cinco dicas de  Sandro Marques,  especialista em azeites  e autor de Extra fresco

Divulgação

Qual o maior erro que as pessoas cometem na hora de comprar um azeite?
Acreditar que ter baixa acidez é o principal parâmetro de qualidade. O mais importante é ter sido extraído recentemente.

Como diferenciar um azeite bom de um ruim?
Os azeites ruins possuem um aroma fermentado, avinagrado ou oxidado.

Como degustar um azeite em casa?
Use bases neutras, como batatas cozidas, para notar as nuances de sabor. E sempre deguste mais de um azeite, para ter base de comparação.

Qual a principal característica de um bom azeite?
O bom azeite tem frescor no aroma, picância na garganta e leve amargor.

Que dica você daria para evitar azeite fraudado?
Evite azeites produzidos no exterior e envasados no Brasil.

(Nota publicada na edição 1182 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Envelhecida em casa

Perfeito para envelhecer cachaças em casa, esse barril de carvalho francês enriquece a bebida com aromas frutados, além de conferir à [...]

Forever young

Mais antiga empresa de cosméticos do mundo, com quase 150 anos de existência, a japonesa Shiseido é famosa por seus produtos [...]

O incrível diamante de US$ 15,9 milhões

Não existe pandemia que afete o mercado de altíssimo luxo. Prova disso é o diamante azul de 12 quilates que acaba de ser arrematado num [...]

Lamborghini da hora

A montadora de superesportivos Lamborghini acaba de anunciar sua mais nova máquina. Não é um carro. Trata-se do relógio batizado de [...]

Sofisticação no pulso

A Tag Heuer está com coleção nova nas lojas. Os relógios que a marca acaba de lançar aliam requinte, beleza e resistências, [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.