Edição nº 1138 16.09 Ver ediçõs anteriores

A amada e odiada hierarquia

A amada e odiada hierarquia

Um estudo da Dialogik, empresa de consultoria em comunicação corporativa, constatou que a hierarquia no mundo corporativo é vista de forma completamente diferente entre os profissionais jovens e os mais experientes. Enquanto os primeiros se queixam do engessamento que ela provoca, os mais velhos a veem como uma forma de facilitar o convívio no ambiente de trabalho. A barreira comum entre gerações é o domínio, ou não, da tecnologia. Segundo a diretora da Dialogik, Eliane Sobral, o estudo ouviu profissionais com idades entre 20 e 60 anos de um total de dez empresas participantes, entre elas Faber-Castell, Unilever, Beneficência Portuguesa e Bristol-Myers Squibb.

(Nota publicada na Edição 1136 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Negócio de gente grande

Um dos maiores complexos temáticos do País, o cearense Beach Park deve fechar o ano com crescimento de mais de 20% sobre 2018. O grupo, [...]

Lugar de médico é no shopping

A proliferação das clínicas médicas populares tem levado grandes redes do setor a locais, digamos, pouco convencionais do mercado da [...]

Unidos pelo bilhão

A Duff & Phelps do Brasil, consultoria global de finanças corporativas, e a Kroll, empresa mundial de gestão de riscos e [...]

À procura de imigrantes

Enquanto o Brasil não sabe o que fazer com mais de 11 milhões de desempregados, o Canadá não sabe como preencher suas vagas de [...]

Contrate bem sem olhar a quem

A operação brasileira Oracle, uma das mais importantes da gigante americana de tecnologia, selecionou um recurso da brasileira HRTech [...]
Ver mais