Tecnologia

A alma digital do negócio

Investindo em Inteligência Artificial, startups e logística, a Senior se torna uma das maiores empresas de software de gestão do Brasil. E deve faturar mais de R$ 400 milhões este ano

Crédito: Divulgação

OLHO NO FUTURO “Nossa meta é chegar em 2023 com faturamento acima de R$ 1 bilhão”, diz o CEO, Castelo Branco (Crédito: Divulgação)

Sabe aquele papo de que “a propaganda é a alma do negócio”? Pode esquecer. Em tempos de mundo digitalizado, ganha o jogo quem domina outra ferramenta: a tecnologia. E poucas empresas do Brasil fazem isso com tanto conhecimento e propriedade quanto a Senior, uma das maiores companhias de software de gestão corporativa do País. Com sede em Blumenau (SC) e escritórios em outros oito estados – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo – e no Distrito Federal, a Senior especializou-se em desenvolver ferramentas tecnológicas que facilitem e agilizem os negócios de outras empresas. Suas áreas de atuação mais intensa são logística, Recursos Humanos e ERP, sigla para Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Corporativos), sistema de informação que agrega todos os dados e processos de uma corporação num mesmo local.

Com esse foco, a Senior tem conquistado excelentes resultados. No ano passado, apresentou faturamento de R$ 325 milhões, 18% acima de 2017. Para este ano, a previsão é faturar R$ 420 milhões, o que indica um invejável crescimento de quase 30%. Eles querem mais. “Nossa meta é chegar em 2023 com faturamento acima de R$ 1 bilhão”, diz o engenheiro Carlênio Castelo Branco, CEO da companhia. Os números da Senior levam a crer que a empresa tem tudo para alcançar essa cifra. Com 1,8 mil funcionários, a sua lista de clientes tem 12 mil corporações dos mais variados segmentos, como Amazon, C&A, Carrefour, Centauro, Correios, Fiat, Magazine Luiza, Netshoes e Vivo. “Trabalhamos para desenvolver e oferecer as melhores soluções tecnológicas em gestão corporativa do Brasil”, afirma Castelo Branco. Tem funcionado.

Na área de ERP, por exemplo, a Senior tem alguns dos softwares mais vendidos do Brasil. De todas as operações realizadas durante a Black Friday, 45% são geridas pelo sistema da empresa. No setor de RH, outro dado impressiona: 20% de toda a folha salarial que circula no País são gerenciados pela Senior. “Só nesse quesito, atingimos 6 milhões de pessoas”, diz o executivo. Quase metade (48%) de todos os processos logísticos dos e-commerce do País trafegam pelos sistemas da Senior. A relevância da companhia no País fica ainda mais comprovada quando se sabe que toda a logística dos Correios – do controle de armazenamento à emissão de notas – utiliza ferramentas da Senior. Para conquistar tudo isso, foi fundamental investir no desenvolvimento de novas tecnologias e soluções. Só este ano, a empresa vai aplicar R$ 60 milhões apenas em inovações e outros R$ 3 milhões serão destinados a startups.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL Há dois anos, um aplicativo criado pela empresa para utilização interna foi considerado pela americana IBM – uma das maiores companhias de informática do planeta – a melhor solução de inteligência cognitiva do mundo. Batizada de Sara (Senior Automated and Responsible Agent), trata-se de uma ferramenta de auto-atendimento que usa Inteligência Artificial para agilizar diversos processos dentro da própria Senior. Pelo WhatsApp, o funcionário acessa a Sara e pode efetuar vários procedimentos, como marcar férias, liberar autorizações pendentes, conferir o pagamento do salário, entre outros. “Com isso, reduzimos o prazo no atendimento aos nossos colaboradores e evitamos que questões simples tomem o tempo do pessoal de TI”, diz. “E o usuário tem muito mais autonomia para solucionar suas dúvidas, de maneira ágil, simples e eficiente”.

CURTIÇÃO NO TRABALHO Com áreas amplas e poucas paredes, a Senior tem espaço de convivência com mesa de sinuca, pebolim e escorregador (à esq) (Crédito:Divulgação)

A Sara é apenas um dos recursos utilizados pela companhia para facilitar a vida do funcionário e construir um clima agradável no ambiente de trabalho. Na Senior, os colaboradores têm rede social própria – desenvolvida pela empresa –, eventos com palestrantes de diversos setores e espaços de convivência amplos e descolados, dignos das grandes empresas de tecnologia do Vale do Silício.

Na sede da companhia, há duas áreas cujo objetivo é levar a equipe a descontrair durante o expediente, com espreguiçadeiras, videogame, mesas para lanche, mesas de pebolim, sinuca e pingue pongue e até escorredor em formato de tubo. “O pessoal se diverte, utilizando o escorregador para descer do andar superior”, diz Jussara Dutra, diretora de Pessoas e Organização. Há, ainda, um espaço exclusivo para quem quiser tirar um cochilo nos intervalos do trabalho, com pufes e iluminação reduzida. “Queremos que os nossos funcionários se sintam felizes e valorizados. Assim, estarão sempre motivados a colocar seus talentos a serviço da empresa”, afirma Jussara.

Como consequência desse tipo de postura, a Senior acaba de ganhar, pelo terceiro ano seguido, o prestigiado selo do instituto americano Great Place to Work (GPTW) – dos melhores lugares para se trabalhar –, conferido a empresas que se destacam por investir no bem estar dos empregados. E tudo indica que a Senior seguirá sua trajetória de êxito. Uma das ações que a empresa tem colocado nesse sentido são as aquisições de outras companhias de tecnologia, mas com atuação em outros setores. Nos últimos seis anos, foram cerca de 15 aquisições.

A mais recente foi efetuada em dezembro do ano passado, quando a Senior comprou a Mega Sistemas, do setor da construção civil e com faturamento anual em torno dos R$ 50 milhões. Agora, a companhia se prepara para dar novo e importante passo: a internacionalização. Depois de avaliar possibilidades em outros países, a direção acredita ter encontrado o local certo. “Estamos com negociações avançadas na Colômbia”, diz Castelo Branco. Que propaganda, que nada! A alma do negócio da Senior é, mesmo, a tecnologia.