Giro

A 100 dias das eleições americanas, Trump aposta na “maioria silenciosa”

A 100 dias das eleições americanas, Trump aposta na “maioria silenciosa”

Presidente americano, Donald Trump - AFP/Arquivos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez alarde sobre o apoio à sua campanha de reeleição neste domingo, a 100 dias para as eleições nas quais ele espera que uma “maioria silenciosa” lhe dê a vitória.

O republicano de 74 anos tem lutado em várias frentes e enfrentado críticas crescentes ao lidar com a pandemia de coronavírus e suas consequências econômicas.

Trump aparece atrás nas pesquisas contra seu oponente democrata, Joe Biden.

As pesquisas divulgadas neste domingo mostraram um enfraquecimento de seu apoio em três estados-chave para vencer a eleição.

“A Campanha Trump tem mais ENTUSIASMO, segundo muitos, do que qualquer campanha na história de nosso grande país, até mais do que a de 2016”, escreveu o presidente no Twitter.

“Biden não tem NADA! A maioria silenciosa falará em 3 de novembro! As pesquisas e as notícias falsas não salvarão a esquerda radical”, acrescentou.

Enquanto isso, Biden, 77, que diz estar lutando pela “alma dos Estados Unidos”, apenas destacou em um tuíte: “100 dias”.

Com a pandemia de coronavírus que mata mais de 1.000 americanos por dia, o presidente, que gosta de se cercar de apoiadores em eventos públicos, foi forçado a cancelar seus comícios e a convenção republicana na Flórida no mês que vem.

– Resposta fraca –

A pandemia, que infectou 4,1 milhões de americanos e matou quase 150 mil, está devastando a economia dos Estados Unidos.

Embora a situação seja relativamente controlada na Europa, a fraca resposta federal dos EUA se tornou aparente.

Trump também perdeu o apoio à sua reação aos protestos contra o racismo e a brutalidade policial, enfurecendo os líderes locais com retórica incendiária e a promessa de “aumentar” a presença de agentes federais em várias grandes cidades do país para controlar o manifestantes.

Suas dificuldades se refletiram na substituição de seu gerente de campanha, Brad Parscale.

Com a aprovação estagnada abaixo de 40%, Trump é o primeiro presidente a buscar a reeleição após um processo de impeachment.

Trump promove uma perspectiva de caos para desacreditar Biden, a quem ele acusa de querer “abolir o modo de vida americano”, transformando cidades americanas em terrenos infestados de crimes.

O discurso do presidente de que Biden fará os americanos “se encolherem diante da multidão radical de esquerda”, não foi eficiente em expandir sua base de apoiadores.

Novas pesquisas eleitorais registradas de três estados divulgadas neste domingo revelam que o apoio a Trump está em declínio: na Flórida, o presidente obteve 46% de apoio contra 51% de Biden, enquanto no Arizona, o candidato democrata ficou com quatro pontos de vantagem, com 49%.

Em Michigan, a liderança de Biden é de 52% contra 40%, acima da média do RealClearPolitics de pesquisas nacionais recentes, que colocam o ex-vice-presidente de Barack Obama 8,7 pontos à frente de Trump.

Em 2016, o presidente venceu nos três estados, embora no Michigan tenha sido por uma diferença muito pequena de menos de 11.000 votos.

Biden realiza uma campanha sem precedentes em sua casa em Delaware, sem comícios e poucas coletivas de imprensa, limitando-se a assistir Trump lidar com cada vez mais problemas.

O presidente lembra, no entanto, que com um prognóstico adverso, ele ganhou a candidatura do partido e derrotou sua rival democrata Hillary Clinton em 2016.

O governador republicano de Maryland, Larry Hogan, que não votou em Trump em 2016 e é visto como um candidato em potencial em 2024, disse à CNN no domingo que dificilmente endossará o presidente desta vez.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”

+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?