Negócios

5G: o que muda na sua vida com a nova tecnologia?

Crédito: Pixabay

O 5G vai revolucionar a forma como usamos a internet e a tecnologia no Brasil (Crédito: Pixabay)



O leilão da tecnologia 5G, que promete revolucionar a forma como lidamos com todo o universo da internet no Brasil, movimentou R$ 46,79 bilhões entre esta quinta-feira (4) e hoje (5).

Uma das maiores disputas da história do Brasil, a concessão da tecnologia no País atingiu as faixas de frequência de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26GHz. As faixas de 3,5GHz e de 26 GHz serão usadas exclusivamente para o 5G, enquanto as faixas de 700MHz e de 2,3GHz serão usadas, neste primeiro momento, para expandir a rede 4G em lugares que ainda não possuem o upgrade.

+ 5G: entenda quando sua internet vai ficar mais rápida

Com 20 anos para explorar a tecnologia, as 11 empresas que ganharam um lote do leilão deverão cumprir requisitos próprios de cada faixa, mas, em geral, deverão seguir essas diretrizes:




– Disponibilizar 5G nas capitais até julho de 2022;

– Levar 4G às rodovias;

– Migrar o sinal da TV parabólica para liberar a faixa de 3,5GHz para o 5G;


– Construir uma rede privativa de comunicação para a administração federal;

– Instalar rede de fibra óptica, pela via fluvial, na região amazônica;

– Levar internet móvel de qualidade às escolas públicas de educação básica.

E como o 5G melhora a minha vida?

A tecnologia de internet 5G não irá substituir a internet fixa por enquanto, mas vai funcionar como um complemento. O 5G é a rede móvel, voltada à conexão do que está em movimento.

Em primeiro lugar, a velocidade da internet móvel pode ser aumentada em até 100 vezes em relação ao 4G. Como as ondas de 5G têm menos alcance, será preciso a construção de mais antenas para espalhar o sinal. Segundo um relatório da consultoria OpenSignal de maio desde ano, a média de velocidade do 4G no Brasil é de 17,1 Mpbs (megabits por segundo). O 5G, por sua vez, pode chegar à velocidade entre 1 e 10 Gbps (gigabits por segundo).

Mesmo que não funcione com todo seu potencial, a melhoria de velocidade será significativa. Sendo mais veloz, mais estável e mais ágil, o 5G pode permitir baixar arquivos com maior rapidez: um arquivo de 25 GB, por exemplo, pode ser baixado em 21 segundos – atualmente, levaria mais de 35 minutos. Além disso, vídeos online poderão ser vistos com mais facilidade, velocidade e sem travamentos.

Latência

Tão importante quanto a velocidade é a latência alcançada com o 5G: será uma resposta de sinal muito mais ágil, impedindo atrasos  em chamadas de vídeo e em games, por exemplo. Como a expectativa é de latência entre 5 e 20 milissegundos (no 4G varia entre 50 e 70 milissegundos), a conexão aconteceria praticamente em tempo real. A baixa latência também deve estimular a comunicação entre carros autônomos, serviços de inteligência artificial e de nuvem.

Internet das Coisas

A nova tecnologia permitirá conectar diversos dispositivos ao mesmo tempo, além de ser mais confiável e segura. Isso vai gerar impacto em setores como a telemedicina (cirurgias à distância, por exemplo), educação à distância, automação industrial e agrícola, um dos responsáveis pela sustentação econômica do Brasil. A chamada “indústria 4.0” permitirá uma linha de produção completamente automatizada e avanços na robótica.

Serviços como transporte por aplicativos, por exemplo, devem ser revolucionados e devem oferecer novas funcionalidades e serviços. Cidades inteligentes poderão ser planejadas: iluminação pública automática, sensores meteorológicos, centrais de segurança, entre outras novidades futurísticas. Já em casa, seria possível conectar diversos aparelhos eletrônicos inteligentes, como geladeira, televisão, iluminação, etc.

E vai ser mais caro ter a internet 5G?

Para funcionarem com excelência e com alcance, a tecnologia de 5G precisará de grandes investimentos em infraestrutura. A GlobalData prevê que os Estados Unidos, país mais avançado do mundo em relação ao 5G, gastem US$ 69 bilhões (R$ 382,5 bilhões no câmbio de hoje) neste ano para realizar as atualizações tecnológicas.

No Brasil, as empresas ainda não definiram se haverá reajustes nos preços de pacotes de dados, mas o acesso ao 5G será restrito no início devido à menor cobertura, que será centrada nas capitais, e a compatibilidade de poucos celulares com a nova tecnologia.

Celulares mais potentes

Será preciso comprar um celular compatível para desfrutar das melhorias do 5G. Entre os modelos disponíveis no Brasil que estão aptos a receber o 5G estão: iPhone 13, Samsung Galaxy S21, Samsung Galaxy A32 5G e Motorola MotoG 50 5G. Quem não tem celular apto pode continuar a utilizar as outras redes 4G, 3G e até 2G, que não deixarão de funcionar.

Atualmente, as operadores oferecem o serviço de 5G DSS, que funciona como um híbrido entre as gerações, utilizando a frequência 4G, porém com velocidade maior – embora ainda distante do que o 5G pode oferecer.