Giro

5.200 toneladas de poeira extraterrestre caem na Terra a cada ano

Crédito: Reprodução/Pexels

Apesar das grandes quantidades, é difícil detectar a poeira espacial na maioria dos lugares devido à precipitação que lava a poeira. (Crédito: Reprodução/Pexels)

Todos os anos, 5.200 toneladas de poeira extraterrestre caem na Terra. Esta chuva suave de pedaços de cometas e asteróides supera em muito os meteoritos maiores que atingiram o planeta, de acordo com pesquisa a ser publicada no próximo dia 15 de abril na revista Earth & Planetary Science Letters. Apenas cerca de 10 toneladas (9 toneladas métricas) de rochas espaciais maiores pousam na Terra anualmente.

Apesar das grandes quantidades, é difícil detectar a poeira espacial ou rastrear seu acúmulo anual na maioria dos lugares devido à precipitação que lava a poeira. E na maioria dos lugares, a poeira originada na Terra substitui a poeira do espaço.

+ Registro de peixes no Rio Pinheiros cria esperança, diz especialista

Mas em Adélie Land, na Antártica, perto da estação franco-italiana Concordia, a queda de neve é ​​muito previsível e há muito pouca poeira terrestre. Ao longo de 20 anos, o físico Jean Duprat do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica (CNRS) e seus colegas fizeram seis expedições na área para coletar partículas. As camadas de poeira espacial estão bem preservadas na região para os pesquisadores estimarem o quanto caiu ano após ano.

Os pesquisadores cavaram grandes trincheiras de neve e carregaram as camadas de neve em barris de 20 kg de volta para o laboratório na estação de pesquisa, onde derreteram cuidadosamente a neve e coletaram as partículas de poeira deixadas para trás. Eles então separaram as partículas, removendo contaminantes como fibras das luvas de neve dos pesquisadores.

Extrapolando as descobertas na Antártica central, os pesquisadores descobriram que aproximadamente 5.200 toneladas (4.700 toneladas métricas) dessas minúsculas partículas, medindo entre 30 e 200 micrômetros de diâmetro, caem na Terra a cada ano. (Para referência, um cabelo humano tem em média cerca de 70 micrômetros de diâmetro.) Isso torna as partículas minúsculas a fonte mais abundante de material extraterrestre na Terra.

Como grande parte das rochas espaciais que se chocam com a atmosfera da Terra queimam, os pesquisadores estimaram o volume de poeira no espaço que resultaria nesse fluxo na superfície do planeta. Eles mediram que cerca de 15.000 toneladas (13.600 toneladas métricas) de poeira espacial inicialmente entram na atmosfera a cada ano, o que significa que apenas cerca de um terço atinge o solo. Cerca de 80% da poeira provavelmente vem de cometas conhecidos como cometas do período de Júpiter, escreveram os pesquisadores. São cometas com órbitas curtas controladas pela influência da gravidade de Júpiter. Os outros 20% de poeira provavelmente vêm de asteróides.

Compreender o fluxo de material extraterrestre para a Terra é importante para muitos campos da astrofísica e geofísica, escreveram os pesquisadores, porque essas rochas espaciais podem ter trazido muitos elementos para o planeta. Algumas teorias sustentam que elementos e moléculas originários de rochas espaciais podem ter sido cruciais para o desenvolvimento inicial da vida na Terra.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel